• Unicamp abre inscrições para o Vestibular 2021

    jul 30 • Educação • 80 Views

    A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) abriu as inscrições para o Vestibular Unicamp 2021. As inscrições podem ser feitas até o dia 8 de setembro, exclusivamente pela internet, em formulário disponível na página eletrônica da Comvest: www.comvest.unicamp.br. O Vestibular Unicamp 2021 oferece 3.234 vagas distribuídas em 69 cursos.

    A taxa de inscrição não sofreu reajuste (170,00 reais) e poderá ser paga até 10 de setembro. É possível fazer até duas opções de cursos, desde que da mesma área. O Vestibular Unicamp 2021 inclui as 639 vagas previstas para o edital Enem-Unicamp, já que a modalidade não será oferecida para ingresso em 2021. Os percentuais de reserva de vagas para candidatos de escola pública e candidatos autodeclarados pretos e pardos estão garantidos no vestibular.

    Vista aérea da Unicamp/divulgação

    Cuidados

    Para reduzir o número de estudantes circulando e evitar aglomeração nas escolas, por causa da pandemia de Covid-19, a primeira fase será aplicada em dois dias: 6 e 7 de janeiro de 2021. O dia de realização da primeira fase, para cada candidato, depende do curso escolhido: candidatos aos cursos do segmento de Ciências Humanas/Artes e de Exatas/Tecnológicas farão a prova no dia 6 de janeiro, uma quarta-feira. Já os candidatos da área de Ciências Biológicas/Saúde farão a prova no dia seguinte, ou seja, 7 de janeiro, uma quinta-feira. A segunda fase do Vestibular não sofrerá alteração do formato e continuará sendo aplicada em dois dias: 7 e 8 de fevereiro de 2021.

    Provas de habilidade

    As provas de Habilidades Específicas serão realizadas nos dias 11 e 12 de fevereiro, exceto para os cursos de Música, cujas etapas ocorrerão em setembro/outubro/novembro.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Unicamp abre inscrições para o Vestibular 2021

    Read More
  • Campinas chega a 826 mortes pela Covid-19

    jun 15 • Cidade, Saúde • 559 Views

    O número de vítimas fatais pela Covid-19 chegou a 826, de acordo com os dados divulgados pela Prefeitura, nesta terça-feira. O número de casos confirmados subiu para 21.934 e foram descartados 36.551 casos suspeitos. Há outros 716 casos em investigação.

    A Prefeitura informou ainda que Campinas conta nesta terça-feira, 11/08, com 403 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 nas redes pública e particular. Deste total, 320 estão ocupados, o que corresponde a 79,40%. Há 83 leitos livres somando as redes pública e particular.  Os leitos estão divididos da seguinte forma:  SUS Municipal: 153 leitos, dos quais 125 estão ocupados, o que equivale a 81,70%. Há 28 leitos livres. Nesta terça-feira, 2 leitos do Hospital Mário Gatti continuam bloqueados para regulação por conta da necessidade de isolamento de pacientes.  SUS Estadual (AME + HC da Unicamp): 86 leitos, dos quais 79 estão ocupados, o que corresponde a 91,86%. Há 7 leitos livres. Desde quinta-feira, 6, a Unicamp está com 7 leitos a menos.  Particular: 164 leitos, dos quais 116 estão ocupados, o que equivale a 70,73%. Há 48 leitos livres.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Campinas chega a 826 mortes pela Covid-19

    Read More
  • Artigo: Implicações trabalhistas do coronavírus

    mar 18 • Emprego • 61 Views

    *Agostinho Zechin Pereira

    Com a decretação, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de pandemia para o novo Coronavírus (Covid-19), a situação global, que já era preocupante, ficou alarmante. Muitos gestores de empresas podem ter que tomar decisões emergenciais por conta dessa nova realidade.

    A lei trabalhista, que vem sendo atualizada, principalmente nos últimos anos, não possui regra específica para esse tipo de problema. O que existem são normas gerais, como a manutenção de ambiente de trabalho seguro; o afastamento com percepção de salário por até 15 dias nos casos de doenças e, após esse período, o afastamento previdenciário; o direito do empregado de rescindir o contrato de trabalho por culpa do empregador se estiver correndo perigo manifesto de mal considerável etc.

    Mesmo a recente Lei 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que dispõe sobre as “medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus”, pouco enveredou na questão tipicamente trabalhista, disciplinando apenas, no § 3º do art. 3º, que “será considerado falta justificada ao serviço público ou à atividade laboral privada o período de ausência decorrente das medidas previstas neste artigo”.

    Diante desse cenário, cabe à empresa tomar as medidas necessárias de proteção das pessoas que ali trabalham e lidar de maneira adequada caso haja algum caso de contaminação no local de trabalho, seja em primeiro lugar, pelo caráter humano que deve nortear tais atitudes, mas também para que não seja responsabilizada futuramente por ter sido omissa.

    1. MEDIDAS PROTETIVAS
    1. O que mais se tem falado sobre o assunto é a prevenção. Em empresas que possuem CIPA e SESMT, esses órgãos internos devem se incumbir de planejar e adotar as medidas necessárias para evitar a contaminação, como, por exemplo, instruções gerais de prevenção (ex.: evitar dar as mãos) e fornecimento de produtos (álcool gel etc.). Essas medidas devem não só ser comunicadas, mas também fiscalizadas, seja pela chefia, seja pelas pessoas diretamente ligadas à segurança e medicina do trabalho;
    2. Se possível, adotar o home office para as funções que comportam o trabalho à distância;
    3. Evitar viagens que não sejam estritamente necessárias, principalmente viagens ao exterior;
    4. Se acesso às dependências da empresa for feito por meio de biometria digital, buscar substituir por crachás.
    • AÇÕES CASO HAJA INDÍCIO OU COMPROVAÇÃO DE CONTAMINAÇÃO
    1. Cabe também à Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e ao Serviço Especializado em Engenharia e em Medicina do Trabalho (SESMT) tomarem para si a responsabilidade de agir rapidamente nesses casos. Ao menor indício de contaminação, o trabalhador deve ser encaminhado para exame médico e teste laboratorial. A lei 13.979/2020 diz que “para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Coronavírus, poderão ser adotadas, entre outras, as seguintes medidas: … III – determinação de realização compulsória de: a) exames médicos; b) testes laboratoriais; c) coleta de amostras clínicas”;
    2. Buscar identificar se há mais casos de contaminação, principalmente das pessoas que trabalham próximas ao infectado e, se houver, proceder da forma acima descrita.
    • QUAL A IMPLICAÇÃO TRABALHISTA NA SITUAÇÃO EXTREMA DE TER QUE FECHAR PROVISORIAMENTE O ESTABELECIMENTO?

    Aqui também não há uma regra específica na legislação. Nas funções em que não é possível o trabalho remoto – na linha de produção de uma indústria, por exemplo – os trabalhadores, dependendo da gravidade da situação, não comparecerão ao trabalho. O grande problema que se enfrenta aqui é que a ausência do trabalhador não decorre de culpa dele, nem tampouco de culpa da empresa. A culpa é do vírus. Não seria justo, assim, determinar que a empresa pague os salários do trabalhador que não está trabalhando por conta de um fator alheio a ela. Também não seria justo fazer com que o trabalhador deixe de receber o seu salário e, assim, não ter como arcar com as suas despesas rotineiras, como alimentação, aluguel etc por fator igualmente alheio a ele.

    Há quem sustente que, pelo fato da legislação trabalhista (art. 2º da CLT) prever que o risco da atividade econômica pertence ao empregador, este deveria remunerar o tempo que os empregados estiverem afastados do trabalho. Não parece ser a melhor saída para a situação. Muito embora, de fato, o risco da atividade econômica pertença ao empregador, bem como a empresa tenha a sua função social, a situação que hoje se apresenta é nitidamente de força maior, tal qual prevista no art. 501 da CLT:

    Art. 501 – Entende-se como força maior todo acontecimento inevitável, em relação à vontade do empregador, e para a realização do qual este não concorreu, direta ou indiretamente.

    O parágrafo 1º desse artigo diz que “A imprevidência do empregador exclui a razão de força maior”. Daí a necessidade igualmente da empresa não ser omissa nessa situação.

    Pois bem, em se tratando de força maior, poderia ser invocado o § 3º do art. 61 da CLT:  “Sempre que ocorrer interrupção do trabalho, resultante de causas acidentais, ou de força maior e que determinem a impossibilidade de sua realização, a duração do trabalho poderá ser prorrogada pelo tempo necessário até o máximo de 2 (duas) horas, durante o número de dias indispensáveis à recuperação do tempo perdido, desde que não exceda de 10 (dez) horas diárias, em período não superior a 45 (quarenta e cinco) dias por ano, sujeita essa recuperação à prévia autorização da autoridade competente”.

    O que esse dispositivo diz, em resumo, é que, em casos extremos em que se torna impossível o trabalho, os empregados permanecerão recebendo os salários, mas terão que compensar as horas/dias parados posteriormente. Nesse caso a empresa deve submeter o plano de recuperação do tempo perdido à Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, vinculada ao Ministério da Economia.

    Existem obviamente outras opções, como férias coletivas e utilização de banco de horas (que pode ser negociado diretamente com o empregado, desde que limitado a 6 meses).

    Tais opções, bem como a redução parcial de jornada e salário (esta deverá ser negociada com o Sindicato dos Trabalhadores) e a suspensão do contrato de trabalho para participação do empregado em curso ou programa de qualificação profissional também podem ser utilizadas pelas empresas que não precisam cessar temporariamente suas atividades, mas estejam atravessando dificuldades econômicas por conta do Coronavírus, seja pela falta de matéria-prima (indústria) ou clientes (companhias aéreas, hotéis etc.).

    Conclusão – A prevenção e o correto direcionamento dos casos suspeitos e comprovados constituem obrigação das empresas, que poderão inclusive ser responsabilizadas nos casos de omissão.

    *Agostinho Zechin Pereira é advogado e coordenador da área trabalhista e sócio do Lemos Advocacia Para Negócios.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Artigo: Implicações trabalhistas do coronavírus

    Read More
  • Confira como pedir a renda básica emergencial de R$ 600

    nov 18 • Ação Social, Comunidade, Economia • 124 Views

    Calendário de pagamento depende de grupo do beneficiário

    Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial – Marcello Casal -Agência Brasil

    Paga a trabalhadores informais de baixa renda e a beneficiários do Bolsa Família, a renda básica emergencial de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras será depositada de forma automática para quem já está inscrito no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) a partir de quinta-feira (9) e tem conta no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal. Os demais trabalhadores terão de se cadastrar no aplicativo Caixa Auxílio Emergencial ou no site Auxílio Caixa e começarão a ser pagos até o dia 14.

    Quem está no Bolsa Família não precisa se cadastrar e receberá o auxílio emergencial no mesmo dia do pagamento do programa social, que ocorre entre nos últimos dez dias úteis de cada mês. O beneficiário desse grupo receberá o maior valor entre o Bolsa Família e a renda básica emergencial no fim de abril, de maio e de junho.

    Nesta fase, o dinheiro será depositado em contas poupança digitais ou na conta corrente informada pelo beneficiário e só poderá ser movimentado eletronicamente. O calendário para saques em bancos, casas lotéricas ou correspondentes bancários será divulgado posteriormente.

    Confira abaixo mais questões sobre o benefício.

    Quem tem direito ao auxílio emergencial?

    O benefício será para às seguintes pessoas:

    » Que estão inscritas no CadÚnico até o último dia dia 20 de março;
    » Que são microempreendedores individuais;
    » Que são contribuintes individuais ou facultativos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS);
    » Que estão na informalidade, sem inscrição em programas sociais nem contribuir para o INSS;
    » Que são inscritos no Bolsa Família;
    Atenção: O auxílio não será pago a quem recebe aposentadorias, pensões e demais benefícios previdenciários, seguro-desemprego, benefícios assistenciais como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) ou outro programa federal de transferência de renda que não seja o Bolsa Família.

    Todos os beneficiários deverão:

    » Ter mais de 18 anos de idade e Cadastro de Pessoa Física (CPF) ativo;
    » Ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);
    » Ter renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) na família inteira;
    » Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018;
    » A renda familiar considera os rendimentos de todos os membros que vivem na mesma residência, exceto os pagamentos do Bolsa Família.

    Como será feito o pagamento a mães solteiras?

    » Mulheres mães e chefes de família poderá receber R$ 1,2 mil (duas cotas) por mês caso se enquadrem nos critérios anteriores.

    O que acontecerá se quem recebe o auxílio emergencial conseguir emprego?

    » Beneficiário que, durante a vigência do programa, for contratado com carteira assinada ou vir a renda familiar ultrapassar o limite continuará a receber a renda básica emergencial

    Quem precisa baixar o aplicativo e se cadastrar?

    » Trabalhadores informais sem registro
    » Microempreendedores individuais
    » Contribuintes individuais ou facultativos do INSS
    » Embora os MEI e os contribuintes do INSS estejam inscritos na base de dados do governo, a Caixa Econômica Federal e o Ministério da Cidadania recomendam baixar o aplicativo e para ajustar dados, como a renda familiar. O aplicativo avisará caso o CPF do trabalhador já esteja inscrito no CadÚnico
    » Beneficiários do Bolsa Família não precisam se cadastrar

    Como fazer o cadastro?

    O cadastro pode ser feito de três formas:

    » Pela internet, no site auxilio.caixa.gov.br
    » Pelo aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, disponível para celulares e tablets do sistemas Android e iOS
    » Cadastro em lotéricas e agências da Caixa para quem não tem acesso à internet. Por causa da pandemia de coronavírus, as agências da Caixa estão funcionando com horário reduzido, das 10h às 14h
    » Os aplicativos podem ser baixados de graça por quem não tenha crédito no celular, graças a um acordo entre o governo e as operadoras de telefonia
    » Governo recomenda apenas usar os canais indicados para evitar enviar dados a sites falsos e aplicativos fraudulentos

    Que informações são necessárias para fazer o cadastro?

    » Nome completo, número do CPF, data de nascimento e Nome da mãe;
    » Número de celular para receber um SMS com a informação se o benefício foi concedido ou negado;
    » Renda individual e ramo de atividade;
    » Cidade e estado onde reside;
    » Número de conta corrente, para quem tem conta em banco;
    » Número da identidade (RG) ou da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para quem deseja criar a conta poupança digital

    Qual será o calendário de pagamento?

    Para inscritos no CadÚnico:

    » Primeira parcela: a partir de quinta-feira (9) para quem tem conta no Banco do Brasil ou conta poupança na Caixa, dois dias úteis após a Caixa receber a base de dados da Dataprev, que ocorre hoje (7);
    » Segunda parcela: entre 27 e 30 de abril, dependendo do mês de nascimento do trabalhador;
    » Terceira e última parcela: entre 26 e 29 de maio, dependendo do mês de nascimento

    Para os trabalhadores informais, MEI e contribuintes individuais ou facultativos do INSS, que fizeram o cadastro no site ou no aplicativo:

    » Primeira parcela: a partir de 14 de abril, com a possibilidade de ser pago na segunda-feira (13), caso a Caixa termine de processar os dados antes do prazo de três dias úteis;
    » Segunda parcela: entre 27 e 30 de abril;
    » Terceira e última parcela: entre 26 e 29 de maio.

    Quem recebe Bolsa Família:

    » As três parcelas serão pagas nos mesmos dias de pagamento do Bolsa Família, nos últimos dez dias úteis de cada mês, conforme o final do Número de Inscrição Social (NIS);
    » Meses de pagamento das parcelas: abril, maio e junho.

    Como será feito o pagamento?

    Nesta primeira fase, não haverá saques, apenas depósitos. O dinheiro só poderá ser movimentado eletronicamente. Beneficiários com conta aberta no próprio nome em qualquer outro banco podem indicá-la para receber o valor. A Caixa transferirá o dinheiro sem custos adicionais.

    Já beneficiários sem conta em banco terão de autorizar a abertura de uma conta poupança digital na hora de cadastrar o benefício no site ou no aplicativo. O processo é automático e dispensa a apresentação física de documentos. Beneficiários sem acesso à internet poderão fazer o cadastro nas agências da Caixa ou nas casas lotéricas (se estiverem abertas), com o recebimento do dinheiro na conta indicada, seja ela conta corrente ou conta poupança digital.

    Os usuários de conta poupança digital terão direito a:

    » Isenção de tarifas de manutenção;
    » Até três transferências eletrônicas por mês para outros bancos sem custo nos próximos 90 dias;
    » Transferências ilimitadas para outras contas da Caixa Econômica, mesmo no nome de terceiros;
    » Acesso e movimentação apenas por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas e de boletos bancários

    Os usuários de conta poupança digital não terão direito a:

    » Cartão físico para movimentar a conta

    Existe um telefone para tirar dúvidas?

    O trabalhador pode ligar para o telefone 111, criado pela Caixa, para tirar dúvidas sobre a renda básica emergencial. A linha está disponível apenas para o esclarecimento de informações. O trabalhador pode consultar se está no CadÚnico, no Bolsa Família e se precisa cadastrar-se no aplicativo ou no site.

    As ligações podem ser feitas pelo celular de forma gratuita, graças a um acordo entre o governo e operadoras telefônicas

    Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil – Brasília – Edição: Pedro Ivo de Oliveira

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Confira como pedir a renda básica emergencial de R$ 600

    Read More
  • Produto resulta de parceria com fabricante de brinquedos

    out 9 • Ciência & Tecnologia, Economia, Saúde • 55 Views


    A Nanox Tecnologia (www.nanox.com.br), empresa-filha da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), acaba de lançar máscara respiratória equivalente àquelas conhecidas como N95, mas com duas vantagens importantes: é reutilizável e o material do qual é feita tem propriedades bactericidas, antifúngicas e antivirais.
    O produto é resultado de parceria com a fabricante de brinquedos Elka, que buscava destinação para seu parque industrial ocioso devido à pandemia de Covid-19. O contato foi estabelecido via IEC Partners, organização dos Estados Unidos que já interagia com ambas as empresas.
    As propriedades antimicrobianas da máscara são resultantes da adição de micropartículas de prata aos polímeros dos quais é constituída a sua estrutura. Embora ainda não tenha sido possível comprovar sua ação contra o SARS-CoV-2, causador da Covid-19, o material já tem ação comprovada contra outros vírus. Além disso, a ação bactericida e antifúngica ajuda a evitar outras contaminações comuns em ambientes hospitalares, como, por exemplo, a pneumonia bacteriana.
    O equipamento, batizado de Oto, é uma alternativa para profissionais de Saúde e outros usuários, especialmente diante da escassez de equipamentos de proteção individual (EPIs). A higienização demanda apenas água e sabão, além da troca do elemento filtrante (do tipo PFF2, descartável, fornecido no kit junto com as máscaras). 
    A empresa está recebendo pré-reservas, e as entregas devem começar no final da primeira quinzena de maio. A capacidade instalada de produção já é de 200 mil unidades por mês, mas há possibilidade de ampliação para um milhão de máscaras, de acordo com a demanda.
    Mais informações em www.otomask.com.br.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Produto resulta de parceria com fabricante de brinquedos

    Read More
  • 13ª Campinas Restaurant Week celebra a gastronomia paulista

    jul 16 • Cidade, Gastronomia • 407 Views

    Maior festival gastronômico do país chega à cidade com menus completos a preço fixo em mais de 40 restaurantes participantes

    Em sua segunda temporada de 2019, a Restaurant Week chega à 13ª edição em Campinas entre 11 de outubro a 03 de novembro, com mais de 40 restaurantes participantes. O evento tem como tema principal a “Gastronomia Paulista”, para enaltecer os sabores típicos do estado, desde a culinária cosmopolita da capital às tradições do interior e do litoral.

    Ainda nesta edição também ocorre o lançamento de uma grande novidade: a categoria SP Burger Gourmet, para representar a cultura dos hambúrgueres artesanais pelas principais hamburguerias da cidade. São dois tipos de menus a preço fixo, com entrada, prato principal e sobremesa por R$43,90 no almoço e R$54,90 no jantar. Nas hamburguerias, o valor é de R$32,00 para um hambúrguer e um acompanhamento em ambos os períodos.

    Ação Social

    Consolidada como um agente de transformação social, a Restaurant Week incentiva a prática do bem em todas as edições. Desta vez a doação de R$1 – acrescido no valor final da conta – será destinada ao Fundo Social de São Paulo, que promove cursos de capacitação profissional, com escola de gastronomia, para alunos em estado de vulnerabilidade social.

    Harmonização com sobremesas  

    Nesta edição, a Baileys, marca de creme de licor irlandês fará parte do festival, nos preparados harmonizados das sobremesas, em alguns restaurantes participantes, trazendo uma experiência única do menu.

    Serviço

    13ª Campinas Restaurant Week

    De 11 de outubro a 03 de novembro 

    Menu Restaurant Week: R$ 43,90 no almoço e R$ 54,90 no jantar

    SP Burger Gourmet: R$32 no almoço e jantar 

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em 13ª Campinas Restaurant Week celebra a gastronomia paulista

    Read More
  • Centro Infantil Boldrini recebe PaintFest

    jun 27 • Ação Social • 114 Views

    Tarde de pintura, promovida pela Fundação americana FFHA, dedica a suavizar ambientes hospitalares em todo o mundo por meio da arte

    Artista executa pintura/Divulgação

    No próximo dia 08 de julho, o Centro Infantil Boldrini, hospital filantrópico infantil que é referência na América Latina no tratamento onco-hematológico, recebe a PaintFest, uma tarde de pintura. A ação é organizada pela Fundação Americana FFHA (Foundation of Hospital Art, Fundação para Arte no Hospital, em português), instituição que se dedica, desde 1984, a suavizar o ambiente hospitalar com pinturas coloridas, murais e telas.

    Na ocasião, o artista plástico americano Scott Feight, que é fundador da FFHA, e mais cinco artistas americanos irão auxiliar pacientes e familiares a pintar 48 telas, que passarão a compor a decoração do hospital. “Nosso sonho é alcançar pacientes, familiares e equipes médicas, ao redor do mundo, por meio de tardes de pintura”, conta Feight.

    Quem frequenta o Boldrini certamente já reparou que o hospital prima pelas composições coloridas nos ambientes. Os corredores têm janelas amplas, sempre com vista para o jardim, e as paredes mostram desenhos de artistas, estudantes, pacientes, familiares e voluntários. Recentemente, a ala azul, dedicada aos pacientes da hematologia, foi grafitada para estar mais alinhada com o gosto dos pacientes adolescentes. “A pintura, como a música, ajuda a aliviar o sofrimento”, afirma a Dra. Silvia Brandalise, presidente do Boldrini.

    Informações sobre a FFHA (Foundation of Hospital Art): www.hospitalart.org.

    Pacientes e familiares participam da atividade/divulgação
    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Centro Infantil Boldrini recebe PaintFest

    Read More
  • Prédio da Educação na Unicamp recebe nome de Paulo Freire

    Maio 30 • Educação • 117 Views

    Iniciativa parte dos estudantes do Mestrado Profissional da FE

    O educador Paulo Freire tem seu nome eternizado no prédio principal da Faculdade de Educação (FE) da Unicamp com uma placa descerrada em na última quarta-feira, 29, no Salão Nobre da unidade. A nomeação é uma iniciativa dos estudantes do Mestrado Profissional da FE, que em grande maioria trabalha com círculos de cultura, utilizando métodos de Paulo Freire no chão das escolas públicas. O Patrono da Educação Brasileira foi professor da casa durante 10 anos, de 1981 a 1991, junto ao hoje denominado Departamento de Ciências Sociais na Educação (Decise), ministrando as disciplinas de educação e movimentos sociais.

    “Este prédio foi inaugurado sem nome e a reivindicação dos alunos se justifica por ser o lugar por onde o professor Paulo Freire circulou e que ainda guarda a energia dele”, afirma Débora Mazza, ex-aluna do educador pernambucano e atual diretora associada da FE. “A nomeação se dá num momento em que as ofensivas contra a escola pública vêm de todas as partes, contra estudantes e professores, contra os recursos a ela endereçados. Para nós, fica muito claro que é um projeto orquestrado para tirar o povo brasileiro do orçamento do Estado. A escola pública é um patrimônio do povo para a construção de um país mais civilizado, educado e com menos desigualdades.”

    A proposta de nomeação foi elaborada coletivamente durante um seminário na área e colhidas cerca de 800 assinaturas de docentes, estudantes e funcionários. A ata foi ratificada pela Comissão de Pós-Graduação e encaminhada para a instância máxima da unidade, a Congregação, cuja deliberação foi aclama de pé, num momento histórico de comoção.”

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Prédio da Educação na Unicamp recebe nome de Paulo Freire

    Read More
  • Estado de São Paulo lidera a geração de empregos em abril

    Maio 25 • Emprego, Notícias • 116 Views

    Caged registrou abertura de mais 50 mil novas vagas no mês. Serviços e Indústria impulsionaram o resultado, que foi positivo em todos os setores

    Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na sexta-feira, 24 de maio, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, mostram que o estado de São Paulo liderou a geração de empregos no Brasil em abril. No período, houve abertura de 50.168 novos postos de trabalho, uma variação de 0,42% em relação ao mês anterior.

    Em abril, todos os setores da economia paulista tiveram saldo positivo. Os destaques foram Serviços, com a geração de 21,8 mil novos postos, e Indústria da Transformação (12,8 mil). A Agropecuária (6,5 mil) e o Comércio (4,3 mil) também apresentaram resultado expressivo no mês.

    Desempenho Nacional

    O Brasil registrou a abertura de 129.601 novas vagas de emprego com carteira assinada em abril, resultado de 1.374.628 admissões e 1.245.027 desligamentos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira (24) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

    Este foi o melhor resultado para abril desde 2013. Na época, o Caged registrou a criação de 196.913 vagas. Terceiro ano consecutivo de saldos positivos e crescentes no mês, o número reflete a recuperação do contingente de empregos formais em abril desde 2017.  No acumulado do ano, de janeiro a abril, foram gerados 313.835 postos de trabalho e o estoque de empregos chegou a 38,7 milhões.

    O resultado de abril de 2019 está diretamente relacionado aos setores de Serviços, Indústria de Transformação e Construção Civil, responsáveis pela maior parte da geração de empregos no mês. Destaca-se ainda que o saldo de emprego foi positivo nos oito setores econômicos.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Estado de São Paulo lidera a geração de empregos em abril

    Read More
  • Produção do longa-metragem Sophia inicia as filmagens na região de Campinas

    dez 11 • Cinema, Cultura & Lazer • 161 Views

    Protagonizado pela atriz Marjorie Gerardi, com direção de Rafael Santin e HenriqueSattin, filme independente tem estreia prevista para o primeiro semestre de 2019

    A produção do longametragem independente Sophia, que tem data de estreia prevista para o primeiro semestre de 2019, iniciou nesta semana as filmagens em Campinas, Valinhos e Jaguariúna.Composto de 22 atores, o elenco principal é encabeçado por um quarteto de peso: Marjorie Gerardi (Se Eu Fechar os Olhos Agora | Rede Globo), Tuna Dwek (Mothern | GNT),Glauce Graibe (Tempo de Amar | Rede Globo) e o ator argentino Juan Tellategui (Toda Formade Amor | Canal Brasil). Isso sem contar os 50 figurantes e a equipe técnica formada por 45 profissionais, entre os quais diretores de fotografia e arte, figurinistas, maquiadora,compositor de trilha sonora, iluminador, eletricista, assistentes de direção, preparador de elenco, contrarregra, continuísta e claquetista, captador de som e editores de som e imagem.Detalhe: todos os profissionais são da região.Rodado na Região Metropolitana de Campinas (RMC) até 20 de dezembro, com direção e roteiro da dupla de amigos Rafael Santin e Henrique Sattin, Sophia trará às telonas paisagens, prédios e estabelecimentos comerciais de Valinhos (Centro de Lazer do Trabalhador– CLT – Ayrton Senna), Jaguariúna (casa de repouso Terça da Serra e Hotel Matiz) e Campinas(Aeroporto Internacional de Viracopos, Arqtus Concept, J. Silveira Advogados, Piola Cambuí e Confraria da Barba, entre outros).“Um dos principais sets de filmagem de Sophia é um casarão histórico que morou o estilista Luddy Ferreira, localizado no Taquaral, que servirá de cenário para a residência imponente da Família Magalhães. Para o filme, tivemos o apoio de parceiros que possibilitaram reformar e mobiliar todos os cômodos que serão usados na trama. Afinal, quando chegamos para a visita de locação o espaço estava completamente vazio e descaracterizado”, destaca o diretor e roteirista Henrique Sattin, que também assina a preparação de elenco.A produção do longa-metragem, assinada pela Santin Filmes e LuPah! Produções, é cem por cento independente. Entenda-se por isso: não há captação de lei de incentivo. Para cumprir o orçamento calculado em um milhão e duzentos mil reais, a produção iniciou uma caçada heroica e artística atrás de possíveis parceiros e patrocinadores. O auxílio chegou de diversas formas, entre as quais a isenção de aluguel para os espaços de locação e equipamentos de filmagem, oferta de mão de obra técnica, doação de cachê do elenco, além do apoio em alimentação e transporte da equipe para o período de filmagens.

    A Trama Sophia Salvador (Marjorie Gerardi), jovem bela e sedutora arquiteta, retorna ao Brasil em companhia do namorado Alexandre (Caio Magalhães), filho do poderoso Heitor Magalhães(Sérgio Vergílio), fundador de um dos mais renomados escritórios de advocacia do país. Com seu jeito cativante, a mulher logo conquista quem está ao seu redor. Em meio ao cotidiano da Família Magalhães, Sophia envolve os integrantes do núcleo em um jogo de sedução, dinheiro e poder, que traz à tona revelações sobre o passado misterioso do patriarca.“Sophia é uma mulher muito forte, muito misteriosa e, ao mesmo tempo, muito traumatizada. No filme, ela mistura tudo isso com o plano de se vingar de uma família que não a deixou ter uma família digna. A partir desse mix de sentimentos, associado à dor e à compaixão, ela faz uma escolha muito difícil e a segue até o final. A dor que Sophia sente é a de desejar um amor e a de não entender o porquê de alguém tirar esse desejo alimentado porela há tanto tempo”, destaca a atriz Marjorie Gerardi.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Produção do longa-metragem Sophia inicia as filmagens na região de Campinas

    Read More
  • Receita Federal de Viracopos abre leilão com 68 lotes de objetos apreendidos no aeroporto

    dez 10 • Cidade, Sem categoria • 149 Views

    Os itens poderão ser visitados entre hoje (10/12) e 14/12, das 9h às 12h e das 13h às 16h, no Armazém de Mercadorias Apreendidas

    A Receita Federal realizará às 14h do dia 18/12 a sessão pública do 6º e último leilão do ano dos itens apreendidos no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). Entre os 68 lotes estão vestuário, tênis, bolsas, itens esportivos, peças automotivas e industriais, eletrônicos diversos, capacetes, peças de aeronaves, equipamentos náuticos e de pesca, cadeiras para SPA, utensílios domésticos, tapetes, entre outros.

    O período de recebimento de propostas pelos lotes ocorrerá entre os dias 10/12 e 17/12/2018, até as 21h.

    A Receita Federal de Viracopos ressalta que o leilão é todo eletrônico e poderão participar pessoas físicas e jurídicas, conforme indicação constante do Edital. O interessado precisa possuir certificado digital bem como ter Certidão Negativa ou Positiva com Efeitos de Negativa de Débitos Relativos aos Tributos Federais válida na data do leilão e emitida até o dia 17/12/2018.


    Os itens a serem leiloados poderão ser visitados entre os dias 10 e 14/12/2018, das 9h às 12h e das 13h às 16h no Armazém de Mercadorias Apreendidas, localizado no Aeroporto Internacional de Viracopos, sendo o acesso pela Portaria Eco 1.

    A Receita destaca que durante a visitação não será permitido o acesso de pessoas portando equipamentos eletrônicos e bolsas.

    Os estacionamentos disponíveis aos interessados em fazer as visitas são os localizados dentro do aeroporto com a cobrança normal por período.

    O edital completo (0817700/000006/2018) e a relação de mercadorias serão disponibilizados e podem ser consultados por meio do endereço abaixo:

    http://www25.receita.fazenda.gov.br/sle-sociedade/portal
    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Receita Federal de Viracopos abre leilão com 68 lotes de objetos apreendidos no aeroporto

    Read More
  • Voluntários iniciam venda de convites para a “Feijuca do Bem”

    jul 19 • Cidadania • 187 Views

    “Feijuca do Bem” terá show ao vivo com o Grupo Samba de Gaveta

      A feijoada beneficente acontece em 3 de agosto, no Paioça do Caboclo. Convites já estão à venda com os voluntários das entidades

    O Movimento Assistencial Espírita (M.A.E.) Maria Rosa promove a terceira edição da “Feijuca do Bem”. O evento acontece das 13h às 17h, no sábado (3 de agosto), no Paioça do Caboclo (Estrada das Cabras, km 5,5 em Joaquim Egídio) e terá a Maternidade de Campinas como entidade convidada.

    O convite dá direito ao bufê completo de feijoada, além de cerveja, sucos, refrigerantes, água, caipiroska, caipirinha e sobremesa. A música fica por conta do Grupo Samba de Gaveta. Haverá sorteio de brindes.

    O preço do convite varia de acordo com os lotes: R$ 140,00 (Setor 1) e R$ 150,00 (próximo ao palco) até o dia 20 de julho; R$ 150,00 (Setor 1) e R$ 160,00 (próximo ao palco) entre os dias 21 e 31 de julho e R$ 180,00 de 1º  a 3 de agosto. Menores de 6 anos não pagam e, dos 7 aos 13 anos, apenas meia-entrada. A renda obtida será integralmente revertida às duas instituições para a manutenção dos projetos sociais do M.A.E. Maria Rosa e para atender parte das necessidades financeiras da Maternidade de Campinas.

    Os convites podem ser adquiridos com Celina Dias (19) 99978-2828; Vera Longuini (19) 99771-6735; Regina Zorzetto (19) 99703-4438; Maria Antônia (19) 99113-4908 e na tesouraria da Maternidade de Campinas (19) 3306-6028.

    Serviço:

    3ª Feijuca do Bem

    Data: 3 de agosto

    Horário: 13h às 17h

    Local: Paioça do Cabloco (Estrada das Cabras, km 5,5, em Joaquim Egídio)

    Ingressos: 1º Lote: R$ 140,00 (Setor 1) e R$ 150,00 (próximo do palco) até o dia 20 de julho;

    2º Lote: R$ 150,00 (Setor 1) e R$ 160,00 (próximo do palco) entre os dias 21 e 31 de julho;

    3º Lote: R$ 180,00 nos dias 1º, 2 e 3 de agosto.

    Menores de 6 anos não pagam. De 7 a 13 anos, apenas 50% do valor.

    Informações e vendas: Celina Dias (19) 99978-2828; Vera Longuini (19) 99771-6735; Regina Zorzetto (19) 99703-4438; Maria Antônia (19) 99113-4908 e na tesouraria da Maternidade de Campinas (19) 3306-6028.

     

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Voluntários iniciam venda de convites para a “Feijuca do Bem”

    Read More
  • Parques públicos e Clubes sociais poderão reabrir a partir do próximo sábado

    ago 11 • Cidade, Esporte • 26 Views

    Os parques públicos de Campinas, como Lagoa do Taquaral, Pedreira do Chapadão, Bosque dos Jequitibás, Parque das Águas e outros, serão reabertos a partir do próximo sábado, dia 15. No entanto, a abertura será para atividades individuais e haverá a permissão para a entrada de apenas 30 por cento da capacidade de cada local. Os clubes sociais também poderão retomar as atividades, com 40 por cento da capacidade e sem a prática de esportes coletivos, para evitar aglomeração.

    Nos parques públicos, onde os próprios funcionários farão o controle de acesso, equipamentos de uso compartilhado, como bebedouros não serão permitidos.

    A flexibilização foi permitida uma vez que Campinas está, desde o último sábado, na Fase Amarela do Plano São Paulo de Contingência ao Coronavírus.

    OCUPAÇÃO DOS LEITOS NOS HOSPITAIS

    Nesta terça-feira, Campinas está com 79,40% dos leitos de UTI ocupados

    Campinas conta nesta terça-feira, 11/08, com 403 leitos de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19 nas redes pública e particular. Deste total, 320 estão ocupados, o que corresponde a 79,40%. Há 83 leitos livres somando as redes pública e particular.  Os leitos estão divididos da seguinte forma:  SUS Municipal: 153 leitos, dos quais 125 estão ocupados, o que equivale a 81,70%. Há 28 leitos livres. Nesta terça-feira, 2 leitos do Hospital Mário Gatti continuam bloqueados para regulação por conta da necessidade de isolamento de pacientes.  SUS Estadual (AME + HC da Unicamp): 86 leitos, dos quais 79 estão ocupados, o que corresponde a 91,86%. Há 7 leitos livres. Desde quinta-feira, 6, a Unicamp está com 7 leitos a menos.  Particular: 164 leitos, dos quais 116 estão ocupados, o que equivale a 70,73%. Há 48 leitos livres.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Parques públicos e Clubes sociais poderão reabrir a partir do próximo sábado

    Read More
  • Pandemia – Flexibilização em Condomínio

    ago 10 • Comportamento, Saúde • 80 Views

    A cidade de Campinas passou para a Fase Amarela, do Plano São Paulo, do governo do Estado, a partir de 8 de agosto. O advogado Renato Savy, especialista em Direito Imobiliário e em Mediação de Conflitos Condominiais, afirma que muitos síndicos e condôminos têm dúvidas em relação a abertura e flexibilização nessa fase, de áreas comuns dos condomínios, como por exemplo, academia, piscina, playground, entre outros espaços.

    O especialista afirma que os condomínios têm autonomia para realizar a reabertura e, consequentemente, a flexibilização. “No entanto, ressaltamos que os síndicos devem agir com muita cautela, uma vez que a responsabilidade, em todas as esferas, é inerente a sua função”, adverte Savy.

    O advogado orienta que os síndicos consultem os condôminos, e assim, tenham conhecimento da vontade da maioria. Caso o resultado dessa consulta, explica ele, seja favorável à flexibilização e abertura dos espaços comuns, o síndico, em conjunto com o conselho, administradora e o jurídico do condomínio, deve tomar as atitudes que melhor atendam a vontade dos condôminos, focando na proteção da saúde dos moradores, empregados do local e demais prestadores de serviços.

    A reabertura dessas áreas deve ser gradual e muito bem planejada. O síndico deverá utilizar a forma de agendamento para uso de academias e playground, por exemplo, por intermédio de reserva feita pelo condômino.

    Renato Savy orienta ainda que todos os equipamentos e brinquedos, instalados no condomínio devem ser higienizados constantemente pelos profissionais responsáveis, bem como, pelos usuários. “Os cuidados com a higienização e a utilização de máscaras não podem ser flexibilizados, sendo uma obrigação de todos os condôminos, empregados e prestadores de serviços, visando a proteção das pessoas. O momento que vivemos é de união, não de discussão e desrespeito com a saúde das pessoas”, finaliza.

    Renato Savy (Roncon & Graça)
    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Pandemia – Flexibilização em Condomínio

    Read More
  • Empresa oferece 30 vagas para área de tecnologia

    ago 7 • Economia • 52 Views

    Oportunidades são para vários estados do Brasil

    A ROIT Consultoria e Contabilidade, accountech criadora do robô contador, está com 30 vagas abertas. Todas as oportunidades são para o seu departamento de tecnologia. Os interessados devem enviar currículo para recrutamento@roit.com.br

    As atividades a serem desempenhas são nas áreas de programação e englobam diversas tecnologias que a empresa tem lançado no mercado, que automatizam o fluxo contábil, fiscal e financeiro das empresas.

    O trabalho poderá ser via home office, e portanto profissionais de todas as regiões do país podem se candidatar. 

    Segundo o CEO da ROIT, Lucas Ribeiro, a empresa oferece benefícios como plano de saúde, odontológico, programas de incentivo à educação e planos de carreiras escalonáveis. 

    As unidades da ROIT  no Brasil ficam localizadas em Brasília, São Paulo e Curitiba (PR). A empresa congrega 170 funcionários.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Empresa oferece 30 vagas para área de tecnologia

    Read More
  • Estado de São Paulo investe R$101 mi no turismo em 2020

    ago 7 • Turismo • 54 Views

    Os investimentos em obras e infraestrutura turística chegaram a R$ 101,9 milhões no Estado de São Paulo em 2020. Os repasses, feitos pela Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo, por meio do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos (Dadetur), atenderam 150 cidades. Nesta primeira semana de agosto foram mais R$ 2,9 milhões.

    A região de Campinas tem o maior número de municípios atendidos, 29, e a segunda maior parte da divisão dos recursos: R$ 19,6 milhões (19%), ficando atrás apenas da Baixada Santista, com R$ 28,8 milhões. Os destaques da região são Bragança Paulista, com R$ 5,5 milhões (terceira colocada no ranking das 150 cidades), Joanópolis, com R$ 1,4 milhão, Morungaba, R$ 1,3 milhão, além de Águas da Prata, Águas de Lindóia, Atibaia e Serra Negra, todas perto de R$ 1,2 milhão. As outras 22 cidades ficaram abaixo de R$ 1 milhão.

    Os repasses priorizaram os municípios com obras em andamento, como parte da estratégia da Secretaria de Turismo para fazer frente ao impacto da covid-19 no setor. A continuidade preserva empregos locais e deixa os destinos turísticos mais bem preparados para o retorno dos visitantes, segundo a pasta.

    Os recursos do Dadetur são destinados às 70 estâncias turísticas e aos 140 municípios de interesse turístico (MIT). Para terem acesso é preciso que adotem uma série de providências, como a aprovação do Conselho Municipal de Turismo local, plano de trabalho e projeto do que será executado. Caso o pedido seja aprovado, têm início os repasses, complementados de acordo com a evolução da obra.

    Investimentos recentes

     Treze municípios dividiram os R$ 2,9 milhões repassados esta semana. Nuporanga e Brodósqui, na região de Ribeirão Preto; Caraguatatuba, no litoral norte; Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira; Ibitinga, na região de Araraquara; Bertioga, no litoral sul; Santa Fé do Sul, a noroeste do Estado, já na divisa com Mato Grosso do Sul; Itaóca, no Vale do Ribeira; Sud Menucci, na região de Araçatuba; Santo Expedito; região de Presidente Prudente; Cunha, no Vale do Paraíba; Águas de Santa Bárbara, região de Sorocaba; e São Pedro, regional de Campinas.

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Estado de São Paulo investe R$101 mi no turismo em 2020

    Read More
  • Pacientes têm aulas on-line enquanto esperam tratamento no Boldrini

    ago 7 • Cidadania • 48 Views

    No Centro Infantil Boldrini, duas salas foram montadas para receber os pequenos estudantes 

    Giovanna na aula on-line no Boldrini/Divulgação

    Que a pandemia mudou a maneira dos alunos estudarem não é novidade. Computador, celular e internet viraram sala de aula nesses últimos tempos. Mas a EAD (Educação à Distância) também trouxe novas necessidades de adaptação para crianças que lutam contra o câncer e doenças hematológicas: alinhar tratamento e as aulas. Pensando em facilitar o dia a dia desses pacientes, o setor de Pedagogia do Centro Infantil Boldrini, referência no tratamento de câncer infantil e doenças hematológicas, preparou espaços especiais para que as crianças possam fazer suas aulas on-line enquanto esperam o tratamento ou a realização de exames.

    A coordenadora da Pedagogia do hospital, Luciana Mello, explica que existem duas salas em prédios diferentes preparadas para as aulas dos pacientes. “Lá eles contam com mesa, cadeira, material, para poderem se conectar à sua escola e assistirem às aulas. Sempre há um profissional da pedagogia também dando um suporte. Normalmente, as crianças vinham fazer tarefas e ter um reforço aqui, mas agora, com a realidade da pandemia, elas trazem o computador ou celular e criamos mesmo o espaço da sala de aula”.

    Aluna do 4º ano, Giovanna de Morais Moretti, de 9 anos, é uma das estudantes que usam o espaço da Pedagogia para fazer aula on-line. Enfrentando um tratamento de leucemia, Giovanna que costumava dormir enquanto esperava para fazer exames ou tratamentos, agora faz aulas ministradas à distância, ao vivo, pela professora do colégio de Campinas.

    Maria Daiane Morais Moretti, mãe de Giovanna, conta que assistir às aulas no Boldrini tem feito toda a diferença na rotina da filha, que descobriu e começou o tratamento há cerca de três meses. “No início, ela se afastou da escola. Ficou quase dois meses sem aula. Quando começaram as aulas on-line, ela optou por não participar. Ela estava em um processo de aceitação, tinha raspado a cabeça, tinha muito receio do que os amiguinhos iriam falar. Com o tempo, há umas duas semanas, a professora e os amigos de sala fizeram um vídeo para ela, dizendo que estavam com saudades. Esse receio de não ser bem recebida passou e em poucos dias, ela me pediu para conectar e participar da aula. Foi tudo no tempo dela, quando ela se sentiu preparada e isso foi muito importante”, lembra a bancária.

    Daiane conta que o apoio das pedagogas e o espaço especialmente montado para as aulas têm contribuído muito. “Ela fica na sala, acompanha as aulas e até explica para a professora e os colegas que pode ter que sair a qualquer momento para fazer o exame ou falar com o médico. Ela se distraí e a tensão que normalmente ocorreria nesse espaço de tempo, passa a não existir mais. A atenção das pedagogas é muito importante, não só para a Giovanna, mas para toda a família. A gente ver que ela está lá estudando, tendo uma vida mais próxima do normal, como os amiguinhos, apesar do tratamento, é uma felicidade para os pais também”, avalia.

    A bancária ressalta que o apoio da escola também é essencial ao longo do tratamento. “Eles souberam entender as necessidades da Giovanna no começo de não querer participar, agora entendem quando ela sai da aula ao vivo para a consulta e a professora até se dispôs a ficar mais tempo com ela após as lives para ensinar o conteúdo que ela perdeu nesses primeiros meses”, conta.

    Estudiosa, Giovanna conta que está muito feliz por voltar a estudar e assiste a todas as aulas com uma touca de tranças dada por uma amiga também paciente do Boldrini ou pelas feitas pela mãe. “Meus amigos foram muito legais comigo. Sou sempre a primeira a acabar as lições. Minha matéria favorita é ciências e quero ser veterinária quando crescer”, explica Giovanna cheia de sonhos e animação.

    Giovanna se adaptou ao EAD e estuda no hospital/Divulgação

    Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

    Nenhum comentário em Pacientes têm aulas on-line enquanto esperam tratamento no Boldrini

    Read More
× Como posso te ajudar?