Pequenas empresas da RMC aumentam 15% nos investimentos em 2017

mar 3 • Economia, RMCNenhum comentário em Pequenas empresas da RMC aumentam 15% nos investimentos em 2017

Balanço da Desenvolve SP revela aumento de 15% no valor desembolsado em comparação com 2016

A economia paulista está se recuperando e a Região Metropolitana de Campinas (RMC) faz parte desse movimento. Segundo o balanço anual da Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista, as pequenas empresas da Região Metropolitana de Campinas (RMC) aumentaram seus investimentos . Em 2017, a instituição financiou R$ 11,3 milhões para os pequenos e médios negócios da RMC, valor 15% superior ao liberado no ano anterior. Entre os destaques, os números mostram que a alta foi puxada pelos setores de comércio e serviços e que a maior parte dos recursos foi investida em projetos de longo prazo ligados à inovação e à ampliação da capacidade produtiva das empresas.

As pequenas e médias empresas prestadoras de serviços foram as principais tomadoras de crédito na região, com R$ 40,1 milhões investidos no período. Na comparação com 2016, o valor cresceu 113%. Na sequência aparece o comércio, com R$ 3,7 milhões e aumento de R$ 61%.  A indústria, por sua vez, registrou queda de 37%, com R$ 3,5 milhões demandados em empréstimos nos últimos doze meses.

 “O poder de investimento das empresas foi afetado drasticamente pela crise econômica nos últimos anos. Em 2017, no entanto, acompanhamos uma retomada gradual dos negócios em todo o estado, sendo que a RMC se destaca pelo forte investimento em inovação, característica fundamental das empresas que buscam crescer com sustentabilidade”, diz Milton Luiz de Melo Santos, economista e presidente da Desenvolve SP.

Inovação no radar

Os empresários da RMC continuam apostando na inovação como fator competitivo. Em 2017, os investimentos em projetos inovadores pelas pequenas empresas da RMC representaram quase a metade do valor total desembolsado para a região, somando R$ 5,3 milhões em financiamentos no período. Em comparação com 2016, o crescimento foi de 6%.

“As empresas da região estão inovando cada vez mais em seus processos, produtos e serviços, pois já perceberam que nem sempre a tecnologia a ser buscada deve ser disruptiva, mas sim aquela que otimiza um meio de produção, que aproxima a empresa do cliente ou que permite a entrega de um serviço ou produto de melhor qualidade”, diz Santos.

Pequenas e Médias

Em relação ao porte das empresas financiadas, os pequenos e médios negócios foram responsáveis por demandar 58% e 42% dos R$ 11,3 milhões desembolsados no ano, respectivamente.

As empresas atendidas estão em Americana (R$ 1 milhão), Artur Nogueira (R$ 395,5 mil), Campinas (R$ 6 milhões), Engenheiro Coelho (R$ 64,6 mil), Indaiatuba (R$ 686,6 mil), Itatiba (R$ 230 mil), Jaguariúna (R$ 75 mil), Nova Odessa (R$ 208 mil), Pedreira (R$ 52 mil), Santa Bárbara d’Oeste (R$ 198 mil), Sumaré (R$ 107 mil), Valinhos (R$ 150 mil) e Vinhedo (R$ R$ 2,2 milhões).

Informações no site www.desenvolvesp.com.br.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

× Como posso te ajudar?