Nova Sala de Emergência da Operação Estiagem aprimora trabalho integrado

Representantes de secretarias, autarquias e Bombeiros fizeram primeira reunião na Sala de Situação

Representantes de secretarias, autarquias e Bombeiros fizeram primeira reunião na Sala de Situação

A Estação Ambiental de Joaquim Egídio foi o local escolhido pelo Comitê da Operação Estiagem para abrigar o Centro de Operações de Emergência (COE) da Área de Proteção Ambiental Campinas Sul, incluindo a Sala de Situação, onde são discutidas as estratégias. A primeira reunião no local foi realizada na tarde desta segunda-feira, dia 9 de maio, e reuniu representantes de secretarias, autarquias e órgãos municipais, estaduais e de áreas de proteção ambiental (APAs).

O evento teve como objetivo apresentar o trabalho prestado pelos diferentes órgãos integrantes da Operação Estiagem e debater formas de ampliar a integração entre os participantes para dar conta de situações de emergência na APA Campinas – Área de Proteção Ambiental que compreende Sousas e Joaquim Egídio. Os participantes também abordaram as ações de prevenção e combate aos efeitos do período de estiagem, quando são esperandos focos de incêndios em áreas de mata. Discutiram, ainda, os efeitos do clima frio característico dessa época.

Para o secretário Municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, o COE “representa uma possibilidade de atuar cada vez mais de forma integrada. A Estação Ambiental pode abrigar essas reuniões sempre que necessário. Ter uma Sala de Situação em que se pode dar as respostas de forma conjunta é muito importante”, disse.

Como exemplo dessa intersetorialidade, a assessora técnica do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), Priscilla Pegoraro, da Secretaria de Saúde, apresentou o trabalho realizado nos comitês municipais que atuam em situações de emergência, “em especial na saúde pública, para que se possa analisar e ter uma resposta e ação oportunas”, conforme sua definição. Ela citou casos concretos do trabalho integrado lembrando a experiência de dois comitês, o de Arboviroses e o de Enfrentamento à Covid-19. “Esses espaços direcionam-se à criação de políticas públicas transversais”, complementou.

O coordenador Regional e diretor da Defesa Civil de Campinas, Sidnei Furtado, ratificou a importância desses centros como meios necessários para a organização do trabalho intersetorial. “São extremamente úteis e por isso precisamos entender como funcionam”, disse, enfatizando a importância da formatação de uma Sala de Situação como a que foi criada nesta segunda-feira.

Sistema Estadual de Atendimento a Emergências (SEAE)

Uma das pautas da reunião foi a explicação, por parte do comandante das Estações de Bombeiros de Campinas, 1º tenente Bruno Martins, sobre o funcionamento do Sistema de Estadual de Atendimento a Emergências (SEAE). Ele apresentou as diferentes formas de atuação da Corporação e também de organizações públicas, privadas e comunidade em geral. “Participam vários órgãos para tomada de decisão de forma integrada e harmônica”, salientou.

Ele destacou o reforço de ações da Corporação no período de estiagem e a formação de voluntários. “No ano passado, formamos brigadas com foco na prevenção e combate ao fogo em mata. São os Voluntários em Apoio aos Serviços de Bombeiro (VASB), capacitados e credenciados pela Corporação e que podem ser acionados para atuar dentro do Sistema Estadual”.

Neste trabalho intersetorial, a Secretaria Municipal de Assistência Social também tem papel fundamental, como mostrado pela representante da Pasta, Camila Falcão. Segundo ela, a secretaria realiza uma operação de inverno, entre maio e setembro, quando são ampliados os serviços e vagas em abrigos para pessoas em situação de rua e famílias em situação emergencial.

A reunião na Sala de Situação teve, ainda, a presença do coordenador Regional da Rede Estadual de Emergência de Radioamadores, ReREER/I-5, da região de Campinas, Tadeu Fernando Del Porto Júnior, que abordou como os radioamadores voluntários podem ser acionados para atuar na comunicação em emergências. Outra participação foi a da presidente do Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental de Campinas (Congeapa), Claudia Esmeriz, que chamou a atenção para a importância da conscientização da população com relação a situações que podem ocasionar incêndios.

Participaram ainda agentes da Defesa Civil de Itatiba e Morungaba, assim como representantes da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, Fundação José Pedro de Oliveira (Mata de Santa Genebra) e Sanasa.

Clovis Cordeiro

Read Previous

Boletim atualiza dados de ocupação de leitos UTI SRAG nesta segunda

Read Next

Espaço Cultural Maria Monteiro recebe evento “RecicLando as SiGlas”

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.