Caminhada na Praça Carlos Gomes marca início do Agosto Lilás

Paço será iluminado durante todo o mês de agosto.

A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas organiza nesta segunda-feira, dia 1º, às 10h, uma caminhada na Praça Carlos Gomes para marcar o primeiro dia de atividades do mês voltado ao enfrentamento da violência contra a mulher.

A programação completa do evento pode ser consultada no hotsite http://bit.ly/agostolilascampinas, que também contém material informativo dedicado a conscientizar sobre a violência contra a mulher. Na página também é possível acessar cartilhas, vídeos e outras informações sobre o tema.

“A resposta para apoiar a mulher no enfrentamento da violência está em cada um de nós. É na solidariedade, na empatia, que abrimos nossos corações para o amor e o respeito. É na união que se cria a força para quebrar o ciclo de ódio e, na singularidade de cada indivíduo, os elos dessa corrente se fortalecem”, disse Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas.

O slogan desse ano é “Todos contra a violência”. No dia 1º de agosto, à noite, o Paço Municipal será iluminado de lilás e ficará assim até o fim do mês.

Rede

Em relação ao tema, a Prefeitura de Campinas mantém a Rede Municipal de Proteção e Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, uma rede interdepartamental, intergovernamental e com participação da sociedade civil criada em agosto de 2021 em Campinas como o objetivo de implantar uma cultura de paz.

A rede de proteção à mulher abrange o Ceamo (Centro de Referência e Apoio à Mulher), o grupo Mulheres Empreendedoras, o Seravi (Serviço de Responsabilização e Reeducação do Autor de Violência), o Abrigo Sara-m, o Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), o Gama (Guarda Amigo da Mulher), a Sala Lilás da Guarda Municipal e o Botão Bela da Emdec.

Participam também da rede o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, a Vara de Violência Doméstica de Campinas, a Delegacia de Defesa da Mulher e o Botão SOS Mulher, da Polícia Militar. Há ainda em estruturação o Observatório da Violência Contra a Mulher, que reunirá instituições acadêmicas, polícias, sociedade civil e órgãos da Prefeitura de Campinas.

Feminicídio

Campinas registrou este ano seis feminicídios. Em 2021 foram cinco e em 2020 foram sete. Segundo dados do Sistema de Notificação de Violência (Sisnov), que monitora dados sobre o tema, as regiões que registram os maiores índices conhecidos de agressão a mulheres são a região Noroeste, com 26,2% e a Sul, com 25,1%.

Clovis Cordeiro

Read Previous

Exército Brasileiro amplia e moderniza blindados com alta tecnologia

Read Next

Emdec inicia implantação de urbanismo tático na Rua Delfino Cintra

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.