Bares e restaurantes da região devem ter 100% da retomada a partir de agora

Estimativa é da Abrasel RMC, que avalia a volta de 8 horas de funcionamento

Após 139 dias sem atendimento presencial, cerca de 60% dos bares e restaurantes na Região Metropolitana de Campinas (RMC) reabriram suas portas nas duas últimas semanas. Este número deve subir para 100% a partir desta sexta-feira, dia 21, quando o setor passa a abrir por 8h diárias e retomará o atendimento no jantar, dentro das regras estabelecidas no Plano São Paulo para a fase amarela.

Apesar de toda a expectativa sobre a volta dos clientes, o movimento foi considerado acima do esperado após a retomada. O faturamento chegou a 50% do período pré-pandemia do novo coronavírus, em março. A previsão é de que 100% dos estabelecimentos voltem a funcionar nesta sexta-feira, dia 21, quando o horário de abertura permitido passará a ser até 22h. Cada bar ou restaurante poderá dividir o período, conforme seu planejamento.

Nas duas primeiras semanas de retomada, o movimento surpreendeu. Segunda uma pesquisa realizada junto aos associados da Abrasel RMC, o movimento ficou em 50% do que era registrado antes da pandemia, em março. Cerca de 60 dos bares e restaurantes reabriram. Em outras cidades e regiões, como a Capital, apenas 20% reabriram suas portas nas primeiras semanas da autorização do Plano São Paulo.

“25% das casas, como pizzarias e botequins, com atendimento noturno, permaneceram fechadas e deverão reabrir a partir da divisão de horário – diurno e noturno, até 22h – a partir desta sexta-feira”, explica Matheus Mason, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes da Região Metropolitana de Campinas (Abrasel RMC 

“O número de estabelecimentos que retornariam de imediato e o movimento nestes primeiros dias nos causavam apreensão, já que não fazíamos ideia de como seria o comportamento do público na retomada”, explica Matheus Mason, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes da Região Metropolitana de Campinas (Abrasel RMC). “Mas, para nossa surpresa, um número acima da expectativa reabriu e o movimento foi acima do que calculávamos”.

A Abrasel RMC tem orientado, seus associados a seguirem rigorosamente todas as normas e protocolos para uma reabertura segura, tanto para os funcionários como clientes. Isso inclui evitar aglomerações, atendimento somente a pessoas sentadas e dentro do limite estabelecido, funcionamento restrito ao horário permitido. Para evitar aglomerações, está orientando que os estabelecimentos estimulem o agendamento de horários.

A retomada de 60% das casas nas duas primeiras semanas de a região voltar para a fase amarela foi um índice muito superior a outras cidades que já estavam nesta fase, como São Paulo, por exemplo, onde 80% dos estabelecimentos permaneceram fechados após a permissão de reabertura.

O faturamento foi outro fator que chamou nesta volta. As vendas foram de 50% em relação ao inicio de março, semanadas antes do início da quarentena para conter o avanço da Covid-19 e preservar a vida das pessoas. Esta queda é justificada por Mason. “Além de ainda estarmos vivendo a pandemia, com um número grande de pessoas com medo de sair de casa, os bares e restaurantes estão operando com capacidade de atendimento limitada a 40% da casa, o que justifica em parte esta queda”.

A mudança nesta semana permite que os 40% dos outros bares e restaurantes também voltem a operar, sendo que 25% do total são bares e pizzarias que abrem apenas no período noturno, e 5% que decidiu aguardar alguns dias antes da reabertura.

Segundo Mason, com funcionamento noturno a tendência é de que o faturamento continue melhorando. “Um estudo feito pela Abrasel RMC mostra que 54% das vendas, que representam em torno de 80% do faturamento, acontece após as 18 horas”

“As mudanças autorizadas pelo Estado e a Prefeitura no Plano São Paulo são benéficas para o setor. Primeiro, em razão do tempo maior, que evita aglomerações, um dos pontos levantados pela entidade anteriormente junto às autoridades estaduais e municipais”, afirma Mason.

“Em segundo lugar, a ampliação de horários e funcionamento a noite é importante, uma vez que cerca de 60% das vendas e atendimentos ocorrem no horário noturno.

Estes fatores vão dinamizar ainda mais um setor que sofreu e ainda está sofrendo fortemente os impactos da pandemia. Cerca de 4,5 mil estabelecimentos foram fechados na região e 27 mil postos de trabalhos foram fechados. A reabertura significa um estancamento nestes números.

Read Previous

Artigo: Proteção de Dados Pessoais

Read Next

Campinas autoriza atividades presenciais em instituições de ensino superior e técnico

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *