Campinas terá polo internacional para Desenvolvimento Sustentável em Barão Geraldo

Convênio de cooperação com o BID cria área modelo de pesquisas para o desenvolvimento sustentável e reúne Prefeitura, Estado, Unicamp, PUC-Campinas, Embrapa, CPqD, Sanasa e CPFL, entre outras empresas

Uma cerimônia no Palácio dos Bandeiras, em São Paulo, na tarde desta quarta-feira, dia 11 de março, marcou a assinatura de convênio para a criação do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS) de Campinas. O projeto de cooperação reunirá universidades, centros de pesquisas, empresas, Prefeitura, organismos públicos. A finalidade é desenvolver projetos voltados ao cumprimento dos objetivos de desenvolvimento sustentável, agenda proposta em 2012 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e assumida por 193 países, incluindo o Brasil.

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, assinou o convênio para criação do polo ao lado do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, da representante do Bando Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Vanderléia Radaelli, do vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, e da secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Patrícia Ellen da Silva.

Por meio desse convênio, o BID vai investir o valor total de US$ 1 milhão, em caráter não-reembolsável, para a elaboração de um Plano Diretor (master plan) que vai orientar a ocupação e o desenvolvimento de uma área de mais de 11 milhões de metros quadrados em Campinas. A área engloba o campus da Unicamp, no Distrito de Barão Geraldo, incluindo a Fazenda Argentina, adquirida pela universidade, a PUC-Campinas e toda a área do Ciatec II (Companhia de Desenvolvimento do Polo de Alta Tecnologia de Campinas).

“Campinas tem uma vocação. Desde a época do Império, quando o imperador criou em Campinas o Instituto Agronômico, a cidade já mostrava ali a sua vocação para pesquisa e inovação. E agora, vem reafirmando essa tendência e o HIDS é mais um passo. Nós queremos a concepção de uma cidade que pode se dizer do presente e não do futuro. Porque as pessoas já querem uma cidade assim, que tenha uma energia limpa, boa infraestrutura de telecomunicações e também empresas voltadas para o desenvolvimento de produtos inovadores para o uso da sociedade”, disse o prefeito Jonas Donizette durante a cerimônia, lembrando que a cidade sedia hoje a construção do maior projeto de tecnologia do País, o acelerador de partículas Sirius.

O objetivo do convênio é criar um distrito modelo de desenvolvimento urbano sustentável e inteligente na forma de um laboratório vivo. Trata-se de um projeto inédito no país, que vai servir de referência para o Estado de São Paulo e para o Brasil. O prazo de execução do plano é de 36 meses. As atividades a serem desenvolvidas vão envolver startups, energia limpa e várias outras ações.

“Estamos dando um passo muito concreto para transformar o HIDS em realidade. O apoio do BID foi fundamental, porque esse recurso a fundo perdido vai permitir fazer o plano diretor. Nós sabemos que é o primeiro passo, mas é um passo muito concreto para que Campinas possa sediar esse primeiro HUB de Inovação Sustentável na América Latina”, comemorou o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia.

“O HIDS foi um esforço, uma somatória de várias instituições, com o apoio especial da Unicamp e o recurso que conseguimos do BID para fazer o master plan. Vamos procurar desenvolver o melhor para aquela região e a Prefeitura estará passo a passo com essa iniciativa”, garantiu Jonas Donizette.

A representante do BID na cerimônia, Vanderléia Radaelli, destacou a importância do investimento em tecnologia e inovação como elemento para o crescimento sustentável. “O HUB Internacional para o Desenvolvimento Sustentável é uma iniciativa que teve carácter prioritário dentro do BID desde o início. Nós entendemos que as atividades que impactam no ambiente social, econômico e ambiental devem estar no centro das políticas públicas e são peça-chave nos programas públicos e privados que nós, institucionalmente, financiamos”, afirmou Radaelli, que foi a chefe de equipe do projeto.

Ousadia

O projeto foi imaginado inicialmente como uma estrutura a ser criada na Fazendo Argentina, adquirida em 2014 pela Unicamp. Mas a universidade reconheceu que não faria sentido elaborar um projeto dessa importância sem a participação da Prefeitura e de parceiros de grande relevância para Campinas.

“Temos a possibilidade de criar algo muito novo, muito ousado, muito diferente e que, certamente, será um marco na história de São Paulo e do País”, afirmou o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel. Ele aproveitou para agradecer a união de esforços das instituições que participam do projeto e o empenho da Prefeitura de Campinas e das secretarias municipais envolvidas.

A Prefeitura já dispõe de legislação e de normas tributárias que contribuirão para a criação dessa “zona franca do conhecimento”, uma vez que essas regras favorecem a instalação de empresas de alta tecnologia na cidade. A Administração Municipal tem acompanhado todo o processo, desde o início das conversas sobre a criação desse local. As equipes técnicas da Prefeitura colaboraram para o projeto ser implementado.

“Esse não é o projeto de uma Administração, é um projeto de uma cidade, do Estado, do País. Então, nós vamos dar todo carinho, toda atenção para que o HIDS possa se desenvolver, e para tudo aquilo que for possível dentro das normativas municipais, nós estaremos à disposição”, afirmou o prefeito Jonas Donizette durante o encontro.

O resultado esperado é estabelecer um modelo que estimule o desenvolvimento inovador e sustentável, posicionando Campinas como um centro de inovação líder na América Latina. Haverá integração entre ciência e tecnologia à realização dos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

“Campinas hoje é relevante em dez dos doze polos de desenvolvimento lançado pelo governador no ano passado e é uma das regiões mais desenvolvidas do nosso Estado. E o HUB não está lá por acaso. É a área onde temos uma das maiores universidades da América Latina, e pelos investimentos já feitos, também pelo setor privado, em tecnologia, sustentabilidade e inovação”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Patrícia Ellen da Silva.

Conselho Consultivo

Antes da assinatura do convênio com o BID foi realizada a reunião do Conselho Consultivo Fundador do HIDS, criado para discutir e ajudar a nortear o planejamento do espaço e a construção de sua governança. O prefeito Jonas Donizette é membro do Conselho e participou da reunião.

O Conselho Consultivo agrega 15 instituições: a Prefeitura de Campinas, o governo do Estado de São Paulo, Unicamp, PUC-Campinas, Facamp, CNPEM, Embrapa, CPqD, TRB Pharma, Cargill, Cariba Empreendimentos e Participações, Instituto Eldorado, Sabis Internacional, todas presentes na área de planejamento, e também CPFL e Sanasa.

Read Previous

Prefeitura divulga diretrizes para enfrentamento do novo coronavírus

Read Next

Prefeitura cancela concerto da Sinfônica de Campinas nesta sexta

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *