Concurso Curta Ecofalante premia produção de estudantes brasileiros

De 12 de agosto a 20 de setembro, a Mostra Ecofalante de Cinema chega à sua 9ª edição de forma totalmente online e gratuita.
A programação do evento audiovisual sul-americano dedicado às
temáticas socioambientais reúne 98 títulos, muitos deles inéditos no Brasil. No total,estão representadas as cinematografias de 24 países.
A mostra inclui o Concurso Curta Ecofalante que premiará estudantes brasileiros.

Acesso à programação

A grade de programação traz novidades diárias, com até 11 diferentes sessões por dia. Todas as exibições podem ser acessadas na plataforma Ecofalante pelo endereço www.ecofalante.org.br e os debates serão transmitidos ao vivo no Facebook (facebook.com/mostraecofalante) e no Youtube (youtube.com/mostraecofalante). Os filmes também podem ser acessados pela Videocamp e pela Spcine Play.

Ao longo das seis semanas do evento, os títulos ficam disponíveis sempre às 15h00, por períodos de 24 horas, com até cinco dias de exibições cada um.

Concurso

O Concurso Curta Ecofalante reúne filmes de curta duração realizados por estudantes brasileiros. Concorrem ao prêmio de melhor filme, no valor de R$ 4 mil, além do prêmio do público, 24 produções. Nesta edição, que tem apoio do WWF-Brasil, os filmes inscritos precisavam abordar temáticas relacionadas a pelo menos um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU na Agenda 2030 – são 17 objetivos que abrangem temas como erradicação da pobreza, saúde de qualidade, combate às mudanças climáticas e igualdade de gênero.
As obras são avaliadas por um júri composto pelo cineasta Felipe André Silva (de “Passou”), a pesquisadora e curadora Kênia Freitas e Gabriela Yamaguchi, diretora da Sociedade Engajada da WWF-Brasil. Foram selecionados 10 títulos totalmente inéditos em festivais: “Ângelo” (de Mariana Machado), “Cancha – Domingo é Dia de Jogo” (Welyton Crestani), “Cerrado de Volta: A Restauração na Chapada dos Veadeiros”(Cleisyane Quintino), “Cidade De Quem Corre” (Fernando Martins), “Como Se Fossem
Máquinas” (João de Mari), “Contratempos” (Matheus Santos), “Correntes (Charles dos Santos), “Desculpe Interromper o Silêncio de Sua Viagem (Maiara Astarte),“Território: Nosso Corpo, Nosso Espírito” (Clea Torres e João Paulo Fernandes) e“Vidas que Correm” (do Coletivo de Alunos, de Jundiaí, SP).

Read Previous

O poder religioso

Read Next

Falta de higiene bucal pode provocar doenças cardíacas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *