Cursos livres voltam a funcionar em Campinas com regras sanitárias

Decretos com a regras sanitárias foi publicado na sexta-feira, 31 de julho. Só voltam a funcionar cursos de educação não regulada

A Prefeitura de Campinas liberou a volta dos cursos livres de educação não regulada. O decreto que permite o funcionamento e traz as medidas sanitárias a serem adotadas foi publicado no Diário Oficial da sexta-feira, 31 de julho. A decisão também foi anunciada pelo prefeito Jonas Donizette na sexta-feira, 31 de julho, durante transmissão pelas redes sociais. As instituições devem preencher a Declaração de Estabelecimento Responsável e seguir todos os protocolos.

Os cursos que podem funcionar são os de idiomas, informática, formação complementar e artes em geral (escola de instrumento musical, de artesanato e de desenho). As exigências para voltar a funcionar são atender com 20% da capacidade, pelo período de quatro horas (cada estabelecimento define o horário dentro desse limite), seguir todo o protocolo sanitário, que inclui uso de álcool gel, distanciamento social, uso de máscaras e emitir a Declaração de Estabelecimento Responsável, disponível, gratuitamente, no portal da Prefeitura de Campinas. Não devem participar alunos menores de 14 anos e maiores de 60 anos.     

O caderno, com o protocolo que traz as medidas sanitárias que devem ser seguidas para funcionamento dos cursos de educação não regulamentada, está disponível no portal www.campinas.sp.gov.br, no banner sobre a Covid-19.  Mesmo com funcionamento permitido, é orientado que as instituições que oferecem cursos livres continuem a priorizar as aulas online.  

  O secretário municipal de Assuntos Jurídicos, Peter Panutto, explicou que os cursos livres que foram liberados são de atividade intelectual e que os cursos relacionados a atividades físicas, que demandam contato corporal intenso, não podem ser retomados ainda. Não estão autorizados a funcionar cursos que são regulamentados pelos órgãos de educação, como os vinculados ao Ministério da Educação, Secretaria de Educação do Estado ou do município.

Read Previous

Nutrólogo aponta seis hormônios dificultam o emagrecimento

Read Next

UFSCar abre inscrição para mestrado em Engenharia Urbana

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *