Estresse e ansiedade podem causar problemas odontológicos

De acordo com o Prof. Dr. Thiago Altro, a tensão emocional é capaz de desencadear complicações bucais como bruxismo, desmineralização dental e inflamação gengival

Prof. Dr. ThiagoAltro/Divulgação

Caracterizado pelo ranger dos dentes enquanto a pessoa dorme, o bruxismo é uma das principais disfunções desencadeadas pelo estresse e pela ansiedade. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 40% dos brasileiros sofrem com essa desordem funcional causada devido à alteração do nível de cortisol em algumas condições psicológicas.

O Prof. Dr. Thiago Altro explica que hábitos involuntários como esse podem, sim, estar relacionados às situações do cotidiano, inclusive, em tempos de pandemia. “O bruxismo é uma resposta do nosso corpo à tensão acumulada, pois o cortisol, hormônio gerado no organismo pela ansiedade, tem um mecanismo para aumentar essa ação muscular. Ainda que não seja uma doença ou transtorno perigoso, é responsável por causar lesões dentárias permanentes se não for tratado”, ressalta.

O problema pode ocorrer de forma inconsciente, durante o sono, ou consciente, muito comum em atividades de concentração e força. Dor de cabeça e cervical, zumbido no ouvido, desgastes e fraturas nos dentes, retração gengival, lesões de língua e mucosa oral estão entre alguns dos efeitos indesejáveis resultantes desse distúrbio.

Ainda de acordo com o Dr. Thiago, o estresse e a ansiedade também podem causar danos à saúde bucal de forma indireta, como exemplo, por conta do refluxo gastroesofágico. “Podemos constatar que, nesse caso, a gengiva sofre um aumento de inflamação e os dentes uma desmineralização devido à mudança do pH da boca”, afirma.

Recomendações:

– Consulte um dentista com regularidade;

– Não escove os dentes após perceber o refluxo. Hidrate-se com H2O e aguarde 30 minutos para escovar. A saliva neutralizara os ácidos (efeito tamponador);

– Realize bochecho com flúor 2x ao dia;

– Evite apertar os dentes, principalmente, quando estiver empenhado em uma tarefa ou situação mais complicada;

– Procure não mascar chicletes ou mordiscar sistematicamente objetos duros, como pontas de lápis e canetas;

– Faça exercícios. A prática regular de atividades físicas ajuda a controlar o estresse e as crises de ansiedade;

– O bocejo é o alongamento dos músculos mais afetados pelo bruxismo. Faça com frequência;

– Use aplicativos de controle do bruxismo: o App “Desencoste”, desenvolvido pelo Prof. Roberto Garanhari, está disponível gratuitamente para download e ajuda o paciente a não manter os dentes apertados.

Read Previous

Teatro Sotac promove mostra infantil virtual

Read Next

Sequelas da Covid-19 podem persistir por longo período

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *