Governo de São Paulo autoriza atividades no ensino superior e profissional

Medida é válida para cidades que cumpriram 14 dias na fase amarela

As atividades práticas e laboratoriais de cursos do ensino superior e técnico podem ser retomadas, assim como estágio curricular obrigatório e internato dos cursos de medicina, enfermagem, farmácia, fisioterapia e odontologia de forma regional e gradual, nas cidades classificadas por 14 dias na fase 3 (amarela) do Plano SP. A decisão foi anunciada hoje, 13 de julho, pelo governador João Doria com o secretário da Educação Rossieli Soares. Também inclui a educação complementar não regulada, que compreende cursos livres, como idiomas, informática, artes, entre outros, e que agora se enquadrada como setor de serviços do Plano SP.

        Nesta liberação, as unidades terão de respeitar a presença máxima de até 35% do número de alunos matriculados. Para isso, as cidades na qual se localizam os Departamentos Regionais de Saúde precisam estar, no mínimo, 14 dias na fase 3 (amarela) do Plano São Paulo.

        O período de 14 dias é para assegurar que a região está estabilizada e evitar o risco de abertura e fechamento das instituições de ensino superior e profissional. Estão liberadas também as atividades de internato e estágio curricular dos cursos de medicina, enfermagem, farmácia, fisioterapia e odontologia.

        A exceção ocorre porque alguns cursos do ensino superior e profissional demandam obrigatoriamente que estudantes realizem atividades práticas e laboratoriais que, por sua vez, nem sempre podem ser realizadas por meio da educação a distância e do ensino mediado por tecnologia.

Read Previous

Brasil registra inflação de 0,26% em junho

Read Next

Programação on-line marca 35 anos do Lume Teatro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *