Isolamento social em São Paulo é de 47%, aponta Sistema de Monitoramento Inteligente

Central de inteligência analisa dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) do Governo de São Paulo mostra que o percentual de isolamento social no Estado foi de 47% nesta sexta-feira (15).

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras.

No momento, há acesso a dados referentes a 104 cidades maiores de 70 mil habitantes, que podem ser consultados e estão também disponibilizados em gráficos no site http://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/isolamento. O sistema é atualizado diariamente para incluir informações de municípios.

O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.
[13:12, 16/05/2020] Governo SP – Assessoria: Saúde convoca crianças e mães para se vacinar contra a gripe

Cobertura vacinal é de inferior a 20% para menores de 6 anos, gestantes e puérperas; última fase da campanha começa na segunda-feira (18)

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo está convocando mães e crianças para se vacinar contra a gripe, pois a cobertura está abaixo do esperado e necessário.

A campanha acaba em 5 de junho e a partir de segunda-feira (18), começa a última fase, disponível para 2 milhões de adultos de 55 a 59 anos de idade, além de professores de escolas públicas e privadas.

A terceira etapa começou no dia 11 e foi dividida em duas fases, visando reduzir aglomerações para reforçar a prevenção à COVID-19. No entanto, até a última quinta-feira (14), compareceram aos postos somente 430.872 crianças (14,1% de cobertura vacinal), 79.654 gestantes (17,7%) e 13.663 puérperas (18,4%). Também foram aplicadas doses em 9.216 pessoas com deficiências.

Embora o prazo inicial para estes grupos fosse 17 de maio, as doses ainda serão disponibilizadas a quem comparecer aos postos, visto que a meta é alcançar pelo menos 90% de um total de 3 milhões de crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, 451,1 mil gestantes e 74,1 mil puérperas (mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias).

Historicamente, a adesão é contida entre mães e menores. Neste ano é um pouco melhor em comparação ao ano passado, mas ainda aquém do que é preciso. Em 2019, a campanha começou em 10 de abril, e em seis dias só havia alcançado 13,1% das crianças, 18,7% das grávidas e 21,4% das puérperas.

“Pedimos às famílias para zelarem pela imunização de seus pequenos, grávidas e às mães que deram à luz recentemente. Estão circulando doenças respiratórias, como a gripe e a COVID-19, e toda medida preventiva é necessária. Ir ao posto rapidamente para se vacinar é um gesto de cuidado individual e coletivo”, enfatiza a diretora de Imunização da Secretaria, Nubia Araújo. “Esta vacina é totalmente segura e não causa gripe, pois é composta apenas de fragmentos do vírus que garantem a devida proteção”, enfatiza.

Balanço total

Em toda a campanha deste ano, SP pretende vacinar 90% da população-alvo de 15,4 milhões de moradores contra o vírus Influenza.

Até 14 de maio, 10,5 milhões estão vacinados. Já foi atingida 100% de cobertura com a imunização dos seguintes públicos: 5,6 milhões de idosos; 1,3 milhão de profissionais da saúde (100%) e 5,8 mil indígenas. Ainda é necessário vacinar no mínimo mais 250 mil pessoas com doenças crônicas, pois apenas 1,8 milhões foram alcançados, o que corresponde a 80% do total imunizado no ano passado.

Também estão protegidas 185 mil pessoas do sistema prisional, 146,1 mil profissionais das forças de segurança e salvamento; 97,7 mil caminhoneiros; 55 mil motoristas de transporte coletivo; e 6,8 mil trabalhadores portuários.

Em 2020, o Instituto Butantan entregou ao Brasil 75 milhões de doses da vacina, 10 milhões a mais em comparação a 2019. Neste ano, as doses são constituídas por três cepas de Influenza: A/Brisbane/02/2018 (H1N1)pdm09; A/South Austrália/34/2019 (H3N2); e B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria)

Read Previous

Isolamento social em São Paulo é de 47%, aponta Sistema de Monitoramento Inteligente

Read Next

Caixa começa a pagar hoje segunda parcela de auxílio emergencial

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *