Não vacile, previna-se!

Dermatologista da Cia da consulta fala sobre um dos tipos de câncer com mais casos no país

            O mês de dezembro é sinônimo de férias, praia, sol, piscina e mar, mas muitos ainda se esquecem de associar o mais essencial a essa época tão boa: a proteção solar. O Brasil registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos de câncer de pele, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), e esse índice tem crescido a cada ano, totalizando 33% de todos os diagnósticos de câncer do país.

A radiação solar envelhece prematuramente a pele, causando rugas finas e profundas, manchas e textura áspera. “Devemos nos proteger da radiação, pois, quanto mais nos expomos, mais riscos corremos. É claro que tomar sol é importante por conta da vitamina D, mas não devemos exagerar. 15 a 20 minutos já são suficientes para absorver o que precisamos”, explica Rafaela Caruso, dermatologista da Cia da consulta.

A exposição constante ao sol resulta em queimaduras, que causam alterações celulares e elevam as chances de tumores pré-cancerosos e de cânceres de pele, sendo recomendado também evitar o uso de bronzeadores artificiais. A ida ao dermatologista é essencial para identificar alterações na pele, podendo precaver a doença e mudar alguns hábitos.

Além de toda a proteção, os pacientes precisam se atentar à sua genética. “É comum a doença desencadear nas pessoas que possuem histórico com antecedentes na família, dobrando as chances para quem possui pele mais clara, especialmente aquelas que queimam, mas não bronzeiam”, finaliza Rafaela.

Read Previous

Vaginismo: Um problema para 5% das mulheres do mundo

Read Next

Revisão do carro garante segurança veicular durante a viagem de férias com a família

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *