Orquestra Sinfônica homenageia os 80 anos da PUC-Campinas

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas faz uma apresentação especial em comemoração aos 80 anos da PUC-Campinas, neste sábado, dia 5 de junho, a partir das 18h30, no Teatro Castro Mendes. O evento não terá presença de público por conta da piora nas condições sanitárias relacionadas à pandemia da covid-19, mas será transmitido ao vivo pelo canal oficial da Universidade no YouTube (https://www.youtube.com/c/PUCCampinasOficial).

A apresentação faz parte das festividades dos 80 anos da Universidade, que serão comemorados em 7 de junho. A participação da orquestra tem um significado especial, pois foi a PUC-Campinas que manteve a corporação musical em funcionamento na década de 60.

Em 1963, um projeto idealizado por Monsenhor Emílio José Salim, à época reitor da Instituição, permitiu que a Orquestra fosse mantida com recursos da Universidade. Por um período de quase dois anos, ficou conhecida como Orquestra Sinfônica Universitária, contando com a participação de alunos que constituíram grande parte dos primeiros e segundos violinos do grupo.

“Existe um relacionamento muito próximo e bonito entre a Orquestra e a PUC-Campinas. Ela não teria continuidade em seus 90 anos de existência se não fosse a sensibilidade do Monsenhor Emílio José Salim em manter os músicos. A cidade e a orquestra têm uma dívida com a Universidade. Será uma apresentação muito bonita, como forma de agradecer pela inteligência e sensibilidade da Instituição”, disse o maestro Victor Hugo Toro, regente da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas.

Para manter a segurança dos músicos no concerto, o grupo será reduzido para manter o distanciamento e eles serão separados por barreiras de acrílico. Serão dois oboés, duas trompas, quatro primeiros violinos, três segundos violinos, duas violas, dois violoncelos e um contrabaixo.

Estão no repertório os compositores J. Haydn, com “Divertimento em sol maior, Hob II: G1”; Carlos Gomes, com “Sonata em ré ‘burrico de pau’, IV mov.”, e W. A. Mozart, com “Sinfonia no. 29, K.201 (186a), lá maior”. A abertura terá uma fala do Reitor Prof. Dr. Germano Rigacci Júnior.

Maestro Victor Hugo Toro/divulgação

Read Previous

Barreira sanitária aborda 361 veículos e orienta 619 pessoas em Campinas

Read Next

Educação SP pede prorrogação do contrato de mais de 20 mil temporários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *