Artigo: O sexo feminino e o prazer do açúcar

Você sabia que aquela vontade irresistível de comer doces pode ser apenas seu corpo querendo uma compensação?

Quem vai nos explicar melhor isso é a Dra. Bruna Marisa, médica, pós-graduada em Endocrinologia e Medicina Ortomolecular, membro da SBEM e especialista em emagrecimento.

Depois de ouvir por volta de 5 mil pessoas, o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia de São Paulo concluiu em sua pesquisa de campo que o consumo de açúcar é maior entre as mulheres, com 53,3% em relação aos homens. Isso pode estar associado a certos períodos na vida da mulher, quando o corpo vai em busca de alimentos com maior concentração de açúcar. Esse desejo de comer doces é mais intenso principalmente no período pré-menstrual (durante a TPM) e depois da menopausa; período de baixa nos níveis de progesterona e estrogênio.

O consumo acentuado de doces, entre as mulheres, significa que o corpo está buscando uma compensação para a queda na produção hormonal que acaba alterando a geração de neurotransmissores. Esses períodos delicados na vida da mulher requerem maior atenção, seja na manutenção hormonal ou mesmo na dieta alimentar adequada que ela deve buscar”,  comenta a Dra. Bruna Marisa.

Alguns alimentos acabam ajudando na produção de neurotransmissores. Como muitas pessoas já sabem, o chocolate estimula a produção de serotonina; neurotransmissor responsável pela sensação de prazer. Como por exemplo, o chocolate, (cacau) que ajuda na liberação de endorfina, substância natural (neuro-hormônio), responsável pela sensação de bem-estar e bom humor.

O CICLO VICIOSO DO AÇÚCAR

Dra. Bruna nos explica que o processo que nos faz engordar é muito simples e acontece da seguinte forma: Quando ingerimos produtos ricos em carboidratos como massas, pães, biscoitos, doces entre outros, nosso corpo os transforma em glicose, ou seja, em grandes níveis de açúcar no sangue que são tóxicos. Para diminuir esse nível de açúcar, o corpo libera insulina, que suspende a queima de gordura, converte açúcar em gordura e acelera o estoque de gordura. 

Mesmo diminuindo o açúcar no sangue, você ainda está com a insulina circulando nele e que também acumula e mantém a gordura no corpo. Então fica impossível transformar toda esta gordura em energia, acumulando-a e, pela escassez desse nível energético no corpo ele pede mais comida.

Entendeu o motivo pelo qual muitos engordam nesse ciclo interminável? Ele está presente em quase tudo o que ingerimos em alimentos processados, cheios de glúten e que liberam um grande teor de açúcar, e ambos são como um veneno silencioso.

HORMÔNIOS

É preciso lembrar que os responsáveis pelo metabolismo no nosso corpo são os hormônios. E seus hormônios podem ser controlados através do seu estilo de vida e pelo seu tipo de alimentação. No meio disso tudo há o nosso lado emocional que, muitas vezes determina o que devemos comer”, lembra a Dra. Bruna Marisa.

Sabemos que o açúcar é o vilão que nós colocamos dentro da nossa casa, que ele é responsável não apenas pelo ganho de peso, mas pelo vício causado por ele; pois esta substância é absorvida rapidamente pelo nosso organismo, e isso faz com que o nosso corpo necessite de mais doses diárias.

Isso tudo sem falar do cansaço demasiado e da irritação causados pelo seu consumo, o açúcar não vai acrescentar nenhum tipo de nutriente ao nosso organismo.

O açúcar não vai diminuir os sintomas de ansiedade, tampouco o estresse. A sensação de alívio é momentânea. O seu consumo ao longo da vida pode aumentar o risco de desenvolvimento de algumas doenças como hipertensão, diabetes e outros males.

A dieta Low Carb pode ser uma alternativa bem interessante para muitas pessoas que desejam ter um maior controle sobre o consumo de carboidratos, ressalta a Dra. Bruna Marisa, que é praticante deste estilo de vida e indica para todos seus pacientes, conseguindo uma taxa de 100% de sucesso entre eles.

COMO DIMINUIR O USO DE AÇÚCAR?

Uma opção para diminuir o consumo de açúcar são os chamados “doces funcionais”, que não têm açúcar branco e nem farinha refinada em sua composição; eles são feitos com ingredientes específicos para um melhor aproveitamento do alimento em benefício da saúde.

Não adianta o produto ser light ou mesmo diet, é necessário que o produto tenha os ingredientes adequados, necessário para se ter um alimento nutritivo. Por exemplo, o chocolate amargo, sem adição de leite, oferece os inúmeros benefícios do cacau. Outras alternativas que podem ajudar para estimular a serotonina são banana, carnes brancas, ovos e frutos do mar.

Seja qual for a dieta alimentar, seja no caso da manutenção hormonal ou não, é necessário deixar de lado os maus hábitos e adotar hábitos saudáveis, realizando exercícios físicos com regularidade, dormir bem e consumir muita água.

E claro, ter sempre o acompanhamento profissional multidisciplinar; nutrólogos, nutricionistas, endocrinologistas e educadores físicos.

Seja na saúde da mulher ou do homem, a dieta alimentar ajuda, mas não podemos nos esquecer de que para termos uma vida saudável ao longo dos anos, se faz necessário uma mudança de hábitos integrais, ainda que isso venha exigir disciplina e esforço pessoal, os resultados são incríveis”, completa a Dra. Bruna Marisa.

Dra. Bruna Mariza é médica, pós-graduada em Endocrinologia, membro da SBEM, pós-graduada em Medicina Ortomolecular, especialista em Emagrecimento e Low Carb, com vários cursos na área de Medicina Esportiva, onde também atua. Autora do E-Book: Guia de Emagrecimento Definitivo e Duradouro e criadora do Projeto Os Segredos da Mente Magra.

Site: www.drabrunamarisa.com.br

Read Previous

Artigo – Tome fôlego e responda: você respira direito?

Read Next

Instituto Anelo reúne alunos e professores em novo vídeo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *