Bootcamp é o pontapé inicial da parceria Sapore e PUC-Campinas para inovação

Promovido pela PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica), em conjunto com a Sapore e a aceleradora de startups Venture Hub, o “Mescla Bootcamp: Empreendedorismo e Conexão”, realizado neste mês de junho, marcou o início das ações voltadas à transformação de novas ideias em projetos propostos por essa parceria. Para o segundo semestre deste ano, está prevista a realização de um hackathon, com a participação de especialistas do setor de inovação e novos parceiros.

O anúncio do hackathon foi feito pelo CEO da Sapore, Elezir Silva Júnior, que compareceu ao Mescla e conversou com vários participantes do bootcamp. Técnicos da Sapore também colaboraram para a coordenação dos treinamentos e fizeram parte da banca avaliadora que definiu os projetos vencedores. Os 11 trabalhos apresentados durante o evento, que contou com a presença de 80 alunos e ex-alunos, terão continuidade com o suporte da universidade, com infraestrutura e auxílio técnico a partir do seu Programa de Aceleração de Startups, e mentoria da Sapore.

Já os cinco projetos com temas Sapore receberão incentivos, com acompanhamento e supervisão de profissionais da empresa, líder nacional no setor de alimentação corporativa. “Vamos trazer os grupos para um dia de imersão em nossa sede, em Campinas, onde terão contato com todos os setores integrados, poderão participar de minipalestras com profissionais da área operacional, além da oportunidade de apresentar seus projetos aos diretores e gerentes da empresa. Depois disso, criaremos um plano de trabalho específico para que cada grupo possa desenvolver o projeto proposto”, afirma Aldo Navarro, CIO da Sapore.

Para dar continuidade às ações de incentivo à inovação na região, a Sapore prevê a realização de um hackathon, em outubro deste ano. Os projetos apresentados no evento terão continuidade e serão desenvolvidos em detalhes, durante um período em torno de três meses, quando será exposto o produto final. “A proposta do bootcamp é a construção de ideias e elaboração do pitch necessário para cada uma delas, mas sem a construção do projeto em si. No caso do hackathon, os alunos saem do primeiro encontro com um miniproduto viável já planejado. Os temas dos desafios são comunicados antecipadamente, para que os grupos façam a apresentação oficial no evento, além de terem mais três meses para finalizar o MVP [do inglês, Minimum Viable Product ou Produto Mínimo Viável] e apresentar algo minimamente funcional durante o evento final”, explica Navarro.

O reitor da PUC-Campinas, Prof. Dr. Germano Rigacci Júnior, ressalta a importância da iniciativa e as perspectivas para um próximo ciclo de desenvolvimento e aprendizado para todos os envolvidos. “É uma alegria podermos realizar um evento do porte do bootcamp em conjunto com parceiros como a Sapore. Sobretudo por envolver alunos, ex-alunos e professores interessados em construir propostas que transferem esse processo de tecnologia e conhecimento da academia para o setor produtivo e para a sociedade. Esperamos que esses projetos com parceiros do campo privado rendam cada vez mais frutos.”

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CASTELO NO YOUTUBE

Clovis Cordeiro

Read Previous

Mercado de trabalho para alta gerência em junho

Read Next

Folks Pub reabre em Campinas nesta sexta-feira, 24 de junho

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.