Aretha Duarte encara novo desafio com grupo de brasileiros

Aretha na entrada no Parque Nacional de Sajama (Samuel Oscar / Divulgação)

Aretha Duarte lidera a Expedição Sajama. Ela guia um grupo de sete brasileiros – seis homens e uma mulher – rumo à montanha mais alta da Bolívia, 6.542m de altitude. Eles já estão no Parque Nacional de Sajama, localizada a 4.000 metros, para a fase final de aclimatação antes de iniciar a escalada. O ataque ao cume está previsto para o próximo dia 25 de julho.

Guia da especializada empresa de expedições Grade6 e primeira mulher negra latino-americana a alcançar o topo do Everest, Aretha é responsável pelo sucesso da expedição, na qual os brasileiros desenvolverão técnicas relacionadas ao montanhismo e habilidades que refletem nos desafios corporativos. Além de trabalho em equipe, planejamento para atingir metas, alta performance e liderança, sustentabilidade está na pauta.

“Montanhismo e educação ambiental precisam andar lado a lado. Já vi muito lixo e sujeira deixamos por alpinistas ao longo do caminho de subida e descida em praticamente todas as montanhas que escalei e acredito que isso precisa mudar. Na Expedição Sajama, procuramos usar material reciclável e ecologicamente correto. E vamos cuidar do nosso lixo. Além disso, a ideia é desenvolver atividades de conscientização junto as comunidades no entorno da montanha”, explica Aretha.

Ecodesign

 Um mostra concreta das intenções de Aretha são os produtos ecodesign utilizados na Expedição Sajama, que visam diminuir o impacto ambiental, desde a sua concepção até o fim do ciclo de vida, por meio de componentes e processos mais respeitosos ao meio ambiente. Antes de embarcar para a Bolívia, a montanhista “abasteceu a mochila” na Decathlon, onde são produzidos itens esportivos ecodesign idealizados com materiais naturais ou reciclados de excelente qualidade, como algodão orgânico, borracha natural, juta e poliéster reciclado, mantendo a alta performance, tecnicidade e custo-benefício dos produtos.

O posicionamento de Aretha em aumentar o tamanho da pegada sustentável da Expedição Sajama está alinhado com suas atividades como empreendedora socioambiental e líder ESG. “Acredito no PIB de cada um, no seu Poder Interno Bruto. E a montanha é um excelente local para expressar e expandir esse potencial. E responsabilidade ambiental faz parte do leque de atitudes que toda pessoa deve exercitar para interiorizar, aplicar e transformar em exemplo para a sociedade”, completa.

Movimento conjunto

Para Moove, principal apoiadora de Aretha desde Expedição Everest, seguir acompanhando a montanhista é mais que uma satisfação. “Esta parceria está totalmente conectada com a nossa cultura e nosso propósito de mover pessoas e negócios do jeito certo para todos. A Aretha é uma inspiração para Moove. Uma mulher negra, latino-americana e de periferia que sonhou grande, realizou seu sonho e está escrevendo sua história. A Moove como tem muito orgulho de fazer parte e incentivar a construção desta história pois queremos que cada vez mais mulheres como ela possam servir de inspiração e referência para tantas outras.”, afirma Alexandra Sabiá, diretora global de Pessoas&Cultura.

Sete Cumes Andinos

Movida a desafios, Aretha faz do Sajama parte de seu projeto de escalar os Sete Cumes Andinos, compostos por Ojos del Salado (6.891 metros, no Chile), Monte Aconcágua (6.962 metros, na Argentina), Nevado Huascarán (6.768 metros, no Peru), Vulcão Chimborazo (6.310 metros, no Equador), Nevado de Huila (5.700 metros, na Colômbia), Pico Bolívar (4.980 metros, na Venezuela), além do Sajama. Destes, Aretha já escalou o Aconcágua e o Vulcão Chimborazo.

Aretha Duarte que acompanha e lidera um grupo de brasileiros/Divulgação

Sobre Aretha

 Nascida e criada na periferia de Campinas, Aretha é formada em Educação Física e acumula experiência de mais de uma década no montanhismo. Já praticou o esporte em oito países. Além do Everest, escalou o Aconcágua, na Argentina (cinco vezes), o ponto mais alto fora do Himalaia, e o Monte Kilimanjaro, maior montanha da África, além Elbrus (Rússia), Monte Roraima (Venezuela), Pequeno Alpamayo (Bolívia), Vulcões (Equador), entre outros.

Aretha conheceu a modalidade na faculdade, aos 20 anos, quando um professor da PUC de Campinas, quis apresentar esportes outdoor para os alunos do curso de educação física e os levou até a Grade6, operadora de montanhismo. Lá ela entendeu mais sobre como funciona o esporte e se apaixonou. “Fiquei pensando: ‘como nunca tinha ouvido falar neste tipo de esporte antes?'”, contou.

Entusiasmada, Aretha tentou se aproximar da empresa, fazendo cursos de escalada em rocha. Trabalhou de modo eventual em eventos corporativos, para em 2011 ser efetivada. A empresa faria a primeira expedição comercial ao Everest. Carlos Santalena e Rodrigo Raineri, na ocasião sócios e guias da Grade6, levariam os clientes para a montanha e convidaram Aretha para fazer parte do quadro de funcionários. “Daí em diante, comecei a praticar escalada, trekking e expedições. Em janeiro de 2012 fui pela primeira vez à alta montanha, no Aconcágua. Estive cinco vezes lá, quatro delas atingindo o cume de 6.962 metros. Desde então, ao menos uma vez por ano realizo expedições em altitude”, finaliza.

Mais informações:
Site: www.arethanoeverest.com.br/

Clovis Cordeiro

Read Previous

Julho Verde: o cuidado começa pela boca

Read Next

Guarda chuvas coloridos e iluminação aérea compõem a requalificação da 13 de Maio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.