Coelhinho de verdade precisa de alguns cuidados

Coelhinho passa por exames em clínica de Campinas/Foto: Matheus Campos

Especialista lembra que o bichinho não é brinquedo e que família presenteada precisa saber que requer cuidados específicos e visitas periódicas ao veterinário

A Páscoa está aí e um dos seus símbolos é o coelhinho. Muitos têm a ideia de presentear as crianças com o animalzinho, além dos ovos de chocolate, mas o coelho é um bichinho de estimação, o qual requer cuidados detalhados e a família que receberá o novo membro precisa, antes de tudo, conhecer a responsabilidade envolvida e concordar com a nova rotina de ter um pet em casa.

A recomendação é da veterinária Morgana Prado, especialista em Animais Silvestres no Hospital Veterinário Taquaral, em Campinas. “Muitos escolhem o coelho porque é um animal silencioso, carinhoso, se dá bem com crianças e há grande variedade de raças e tamanhos, inclusive bem pequenos. Mas o coelho não é um objeto que se dê de presente sem todo um planejamento anterior. Há grande índice de abandono. Por essas e outras, é fundamental conversar com um veterinário antes de adquirir”, frisa.

No entanto, salienta Morgana, a mentalidade das pessoas vem mudando e o conhecimento de que o coelho não é uma espécie para ser “esquecida” no quintal se expande cada vez mais. Entre os animais silvestres atendidos no Hospital Veterinário Taquaral, é uma das espécies mais populares, atrás somente da calopsita.

Entre as peculiaridades da espécie está a necessidade de um manejo nutricional adequado para não só manter sua saúde e energia, como também para estimular o desgaste dos dentes. Segundo Morgana, os dentes crescem continuamente e se não forem aparados naturalmente com o uso estão fadados à má oclusão dentária, que gera muitos problemas. “Eles param de comer, apresentam alteração gastrointestinal, os dentes criam pontas, causam feridas na boca e podem resultar em óbito, se as devidas providências não forem tomadas”.

Veterinária Morgana Prado com os pacientes “Coelho” e “Neném”/Foto: Júlia Camargo



Ao contrário do que muitos imaginam, a alimentação do coelho não deve ser à base de cenoura, alface e ração. Morgana explica que a cenoura é muito calórica e deve ser ministrada com parcimônia. A alface não é indicada porque tem pouca fibra e muita água, podendo provocar diarreia. A veterinária afirma que uma ração de qualidade pode fazer parte da dieta, mas ela destaca que 70% da sua alimentação deve ser o feno. Os outros 30% podem variar entre verdura verde escura, folhas de árvores frutíferas, capim fresco, legumes e frutas”. Casca de melancia e de melão são ótimas para exercitarem os dentes”, sugere Morgana.

Coelhos devem passar por visitas periódicas ao veterinário/Foto: Matheus Campos


As refeições fartas e variadas deixam as gaiolas sujas e este é um outro essencial zelo que se deve ter com coelhos: não deixar acumular restos de comida, fezes e urina no recinto, que precisa ser limpo diariamente.

Morgana avisa que os coelhinhos se adaptam em viver em apartamento, só não devem ficar em gaiolas muito pequenas. “E cuidado com os momentos de soltura para brincar, pois, se não ficar de olho, eles roem fios e móveis. Na maior parte do tempo, ele pode manter em cercadinho”, orienta.

Ter um quintal para os coelhos é o ideal, mas é preciso manter o espaço adequado para o animal. A especialista lembra que eles adoram terra, apreciam cavar e fazer túneis. Uma ótima iniciativa é disponibilizar brinquedos de madeira para que ele possa desgastar os dentes.

Outro cuidado de quem tem coelho, principalmente os de pelo longo, é a escovação periódica. De acordo com a veterinária, eles são limpos, não exalam mau cheiro e não precisam de banho, a não ser que estejam com uma enfermidade que demande essa limpeza. Por se se lamberem o tempo todo, ingerem pelo, o que leva à formação de bolas de pelo. Isso pode levar o animal a um quadro de estase gástrica, que é a diminuição da motilidade intestinal, por isso, a escovação é importante. Uma dica da especialista para evitar as bolas de pelo é oferecer mamão e suco de abacaxi, que ajudam a inibir essa formação.

As visitas ao veterinário devem ser de semestrais a anuais, exceto quando apresenta algum mal-estar entre esses períodos. Na consulta, o especialista verifica o animal como um todo, peso, pelagem e a pele, pois não são raros problemas como sarna, dermatite, fungo, entre outras patologias dermatológicas. O acompanhamento do crescimento dos dentes é feito visualmente e também através do raio x.

Dicas da veterinária

– Se tem outro tipo de bicho na mesma casa, é melhor ter espaço para separar;

– O adestramento de filhotes é bem-sucedido;

– Quando filhote, é impossível saber o sexo. A partir dos 4 meses dá para ter mais certeza porque os testículos ficam aparentes;

– São espertos e ajudam a desenvolver respeito, cuidado, amor, responsabilidade;

– Indicados para crianças com mais de 3 anos;

– São dóceis e, na maioria dos casos, gostam de ficar no colo

Serviço:
Hospital Veterinário Taquaral
Endereço: Av. Barão de Itapura, 2.968, Taquaral – Campinas SP
Horário de funcionamento: 24 horas
Telefone: (19) 3255-3899
Site: http://hospitaltaquaral.com.br/

Read Previous

Arquitetura e design de interiores são aliados na qualidade de vida

Read Next

Qualificados para Tóquio terão campings em Portugal

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *