Exposição virtual amplia debate sobre relação entre arte e saúde mental

O Instituto Pavão Cultural está disponibilizando na internet, desde segunda-feira, 21 de junho, o Catálogo Digital Trama Incomum. O acesso é gratuito e já está disponível no site https://pavaocultural.org.br/trama-i%d0%b8comum/  Trama Incomum foi uma exposição de artes visuais proposta pelo Instituto Pavão Cultural e o Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira entre setembro e novembro de 2020 em Campinas. A exposição contou com a curadoria da artista visual Cecília Stelini e dos arquitetos Mario Braga e Teresa Mas e a participação de mais de 40 artistas com obras produzidas nos anos de 1990, ainda no âmbito do Hospital Psiquiátrico até os dias de hoje, nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e Centros de Convivência (CECOs).  Essa ação é contrapartida referente ao Inciso 2 da Lei Aldir Blanc, com apoio da Secretaria Municipal de Cultura. É um tema transversal dessa exposição, a questão da Reforma Psiquiátrica que mudou o modelo de isolamento e exclusão dos portadores de transtornos mentais dentro de instituições fechadas para o cuidado humanizado a partir do convívio social, particularmente no Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira, através da arte.  Realizada durante a pandemia de Covid-19, a exposição foi aberta ao público com acesso gratuito por agendamento prévio. Mesmo com todos os cuidados de distanciamento social e higiene, a visitação ficou aquém da importância do acervo exposto e de todas as questões e debates que o tema da arte e da saúde mental poderiam mobilizar. “Sendo assim, esse catálogo digital vem ampliar as informações para quem pode visitar a exposição e abrir uma nova perspectiva em arte e saúde mental para todos que não tiveram a oportunidade de visitá-la”, explica Teresa Mas.  Além das obras expostas, foram realizados no ambiente da exposição em caráter virtual, sem público, alguns shows musicais e cênicos bem como rodas de conversas sobre os temas abordados. Esse material está disponível nos canais virtuais do Instituto Pavão Cultural e seus acessos descritos na página “Saiba Mais” do catálogo, bem como a indicação de bibliografia suplementar.  “Esperamos com esse trabalho manter o debate acerca do cuidado com a saúde mental através da arte sempre aberto e presente, valorizando as práticas que foram e seguem sendo criadas em nossa cidade. O material é direcionado a todos os públicos sem restrição de idade e será particularmente útil a educadores, artistas e trabalhadores da saúde mental”, segundo os organizadores.

Read Previous

Unicamp anuncia que vai manter a lista de obras de leitura obrigatória para o Vestibular 2023

Read Next

Campinas tem 91,18% dos leitos de UTI-Covid ocupados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *