Grupo de dança usa tecnologia para espetáculo inspirado no isolamento social

A coreografia Q u a s e busca refletir sobre o que limita e o que liberta as pessoas nos dias atuais, e terá apresentações gratuitas através da plataforma Zoom

O espetáculo de dança contemporânea Q u a s e, que faz parte do projeto Fluxo em Redes, tem sua temporada de estreia marcada para os dias 9, 10, 11, 13, 17 e 18 de abril. Concebido no período de isolamento social, a coreografia usa a tecnologia para discutir sobre os limites da criação em dança, além de desenvolver as questões que permeiam a oposição entre limitação e liberdade.

O grupo formado por seis bailarinas e um músico partiu do questionamento sobre os limites enfrentados em suas vidas e refletidos nos dias atuais, sejam aqueles que vêm de dentro para fora, ou aqueles que a sociedade e as circunstâncias impõem, além de buscar a oposição: se existem tantos limites, o que os liberta? 

A dança-instalação acontecerá na plataforma Zoom, e será dividida em duas partes. Em um primeiro momento serão abertas sete salas simultâneas, onde cada artista vai compartilhar suas experiências pessoais através de falas, movimentos e sons, valendo-se da ideia da dança depoimento. O público será direcionado para uma das salas e poderá vivenciar a experiência a partir de uma perspectiva, sendo possível interagir através do chat ao vivo. Confinados em um quadrado desenhado no chão, as bailarinas e o músico vão mostrar suas interpretações sobre o que é se sentir limitado, ou o que traz a sensação de liberdade.

No segundo momento do espetáculo, o público será direcionado para uma sala onde aquelas individualidades apresentadas, estarão reunidas. Ninguém se toca ou se aproxima, mas os quadrados agora estão entrecruzados, criando assim a ideia de conexão e coletividade. Para evitar muitos deslocamentos e aglomerações, a parte grupal da coreografia foi gravada, e os artistas tomaram todas as precauções e seguiram as normas de segurança.

A dança Q u a s e busca discutir a relação entre indivíduo e coletivo, e mostra que as circunstâncias que a princípio distanciam as pessoas, podem ser superadas. Baseando a criação nos três anos de pesquisa e prática do projeto Fluxo em Redes, o grupo desenvolveu um espetáculo não só criado através das novas mídias, mas para ser apresentado especificamente nelas, unindo de maneira coesa forma e conteúdo.

Para ter acesso ao espetáculo nos dias de apresentações, o público vai encontrar o link na página oficial do projeto no Instagram (@_fluxoemredes), ou ir diretamente na plataforma Zoom, com o ID: 248 265 0707 e a senha: quasela. Todas as apresentações serão gratuitas.

Read Previous

Educação abre cadastro de cesta básica para alunos da Rede Municipal de Campinas

Read Next

Anelo lança vídeo com participação de Gabriel Grossi

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *