CONDOMÍNIOS E CORONAVÍRUS: Afinal, como viver em comunidade

mar 25 • Comportamento, SaúdeNenhum comentário em CONDOMÍNIOS E CORONAVÍRUS: Afinal, como viver em comunidade

*Adalberto Santos

O momento exige sinceridade, mas acima de tudo, serenidade, técnica e racionalidade. Então vamos a algumas posições:

A pandemia é uma situação grave? Sim.

O pânico ou desespero vai diminuir a gravidade do problema? Não.

Devemos filtrar informações que chegam até nós? Sem dúvida alguma.

Por isso vamos dar algumas orientações sobre como se comportar em seu condomínio, já que algumas atitudes de prevenção e principalmente contribuição podem ajudar a afastar essa pandemia o mais breve possível.

Prevenção pessoal

Lave as mãos, utilize o famoso álcool gel, mantenha a casa arejada e utilize-se de desinfetantes e álcool em maçanetas e demais locais da casa que exigem toque das mãos constantes, em especial metais. Evite qualquer contato físico, em especial com pessoas de mais idade. Só use máscara se você estiver com algum dos sintomas já amplamente divulgados. Mas lembre-se: se estiver com um dos sintomas, utilize-a imediatamente.

Prevenção coletiva

As áreas comuns (em especial elevadores e corrimãos) devem ser higienizadas pelo menos três vezes ao dia com álcool ou água sanitária ou cloro diluído em água na proporção de quatro colheres de sopa para cada litro de água. Isso já ameniza bastante a carga viral.

Suspenda a utilização de áreas comuns fechadas, tais como salão de festas, academias, sauna, piscina, salão de jogos etc.

Nas áreas abertas, como quadras e playgrounds, organize uma agenda para que grupos (não mais que 6 pessoas) utilizem ao mesmo tempo o local. Determine um tempo de utilização. Essas áreas devem ser higienizadas após utilização de um grupo e início das atividades do outro, lembrando que estes devem ficar a uma distância mínima de 2 metros. Idosos devem ter direito a se movimentar e tomar sol; eles deverão ter privilégios quanto a horários mais convenientes.

Ao utilizar elevadores, procurem entrar uma pessoa por vez. Evite tocar nas paredes e na hora de apertar o botão, tente utilizar por exemplo, um palito de sorvete ou de dente, que também deve ser descartado imediatamente. 

Ações contingenciais (gestão de crise)

Moradores dos andares inferiores devem nesse momento ser conscientes e evitar o elevador, utilizando as escadas – sem tocar nas paredes ou corrimões.

Todo morador que estiver em quarentena deverá cumpri-la. Há casos em que famílias inteiras estão em isolamento. Então sejam solidários, ajude indo à farmácia ou supermercado e deixe na porta do apartamento, sem absolutamente nenhum contato físico.

O morador que estiver em quarentena e precisar sair, deve comunicar a administração antecipadamente para que o elevador seja bloqueado exclusivamente para seu uso. Em seguida o elevador deve ser higienizado e somente após todas as medidas de higiene ser liberado para os demais.

E lembre-se: não tenham “vizinhofobia”; ninguém se contamina porque quer, mas podemos minimizar as possibilidades de contaminar alguém.

Agora é hora de união. De pensar no coletivo. Uma oportunidade ímpar de viver a experiência do verdadeiro espírito de comunidade.

Respeito, tolerância e resiliência.              

* Adalberto Santos é especialista em segurança e diretor superintendente da Sigmacon. É consultor, palestrante, analista em segurança empresarial e criminal. Possui pós-graduação de processos empresariais em qualidade, MBA em administração e diversos títulos internacionais na área de segurança.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmail

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

× Como posso te ajudar?