Problema na mandíbula pode ser causa de dores de cabeça

Campinas Chapadão

Participação da comunidade é muito importante

Segundo especialista, sintomas como ruídos, perda de força mastigatória e dificuldade de movimentos do maxilar são sinais de disfunção temporomandibular (DTM)

  

Na correria do dia a dia, sintomas de problemas de saúde costumam passar despercebidos. No entanto, uma simples dor de cabeça, por exemplo, pode ser resultado de complicações odontológicas que, quanto antes diagnosticadas, mais fáceis de serem tratadas. Identificada com frequência pelos profissionais da odontologia, a disfunção temporomandibular (DTM) é qualquer patologia ou alteração de função da articulação temporomandibular (ATM) – responsável pelos movimentos da nossa boca -, e apresenta indícios aparentemente simples.

De acordo com o Prof. Dr. Thiago Altro, da Clínica Odontológica AltroVilela, em Campinas (SP), pacientes com DTM costumam chegar ao consultório com sintomas como dor de cabeça, na face ou no pescoço, dificuldade para abrir ou fechar a boca, perda de força mastigatória e alterações auditivas, como zumbidos, apitos ou ruídos ao mastigar. “A maioria das pessoas que apresenta DTM também relata dor na região das articulações, próximo ao ouvido. Ruídos contínuos ou durante a mastigação – associados ou não a dor -, cefaleias tensionais e dores de cabeça causadas por inflamações musculares também estão entre as principais queixas”, afirma.

O especialista explica que as causas mais comuns vão desde alterações congênitas, quando o paciente já nasce com o problema ou desenvolve durante o crescimento da mandíbula, até doenças degenerativas, como artrite e artrose da articulação, que podem ser originadas por problemas de mordida.

“É importante ressaltar que a prevenção, realizada com a manutenção correta da mandíbula e da articulação, é a melhor maneira para evitar complicações da DTM. O bruximo, por exemplo, é um forte sinal de hiperfunção e pode desencadear esse problema. Então, é fundamental procurar um dentista aos primeiros sinais de dor, apertamento, ranger ou ruídos”, pontua Altro.

Diagnóstico

Segundo o profissional, o exame clínico, onde o profissional realiza a palpação da musculatura para detectar ruídos, e o exame funcional, que é um estudo dos movimentos mastigatórios que o paciente faz, são os primeiros passos. Ressonâncias e tomografias da região também estão entre as possibilidades para diagnosticar o problema.

Tratamentos

Altro explica que existem inúmeros tratamentos para a disfunção da ATM e que a duração de cada um depende da gravidade do caso. No entanto, os mais comuns são placas interoclusais para a correção da mordida, medicamentos em casos agudos de dor e aparelhos tradicionais, com branquetes ou alinhadores invisíveis.

Read Previous

Hoje é o último dia para solicitar a isenção da taxa do Vestibular Unicamp 2022

Read Next

Mackenzie tem novo presidente e diretoria executiva

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *