Testes gratuitos de ponta de dedo marcam o Mês Mundial do Diabetes

Roche aplica teste online para investigar risco de diabetes/Divulgação

Campanha “Reposta na Ponta do Dedo” incentiva população a avaliar seus hábitos para rastrear a probabilidade de se desenvolver o diabetes tipo 2

Uma campanha incentiva testes gratuitos de ponta dos dedos para marcar o Mês Mundial do Diabetes. Para sensibilizar a população a avaliar o risco de desenvolver diabetes tipo 2 e a controlar os níveis de glicemia no sangue, a Roche Diabetes Care lança a campanha “Resposta na Ponta do Dedo”. A iniciativa conta com o apoio institucional da Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (ANAD), Associação de Diabetes Juvenil (ADJ) e IDF-SACA (International Diabetes Federation – South and Central America).

Teste online

A ação convida a população a fazer um teste online que permite aos interessados entender o risco de desenvolver diabetes tipo 2 a partir de perguntas sobre os hábitos de vida e histórico familiar. Para fazer o teste, basta acessar este site.

Caso o resultado do teste seja moderado, alto ou muito alto, a pessoa recebe um voucher para fazer um teste gratuito de glicemia capilar, popularmente conhecido como teste de ponta dedo, em uma farmácia parceira da campanha. Os testes estão sendo oferecidos em todo o Brasil nas grandes redes de farmácia e a lista completa está disponível no site da campanha, na aba “Buscar farmácia”.

A campanha também conta com um Diabetômetro, que aponta em tempo real a quantidade de testes online que foram realizados e o perfil de risco computado até o momento, que varia de risco baixo a risco muito alto.

O teste de ponta de dedo – nome popular para o teste de glicemia capilar – pode ser um primeiro passo para um diagnóstico de diabetes. Foi o caso da aposentada Walquiria Lopes, 63 anos, que desconfiou do quadro de diabetes durante um teste de rotina no escritório em que trabalhava. “Todo ano eu fazia exames de rotina na empresa, com teste de glicemia capilar, pesagem e aferição de pressão. Até 2013, meus exames sempre estavam dentro da normalidade. Até que, em 2015, o teste de ponta de dedo indicou um nível de glicemia altíssimo e iniciei um acompanhamento com endocrinologista”, relembra Walquiria. Após um mês de acompanhamento médico e aferição diária da glicemia capilar, Walquiria recebeu o diagnóstico: diabetes tipo 2.

Dados do Atlas do Diabetes, produzido pela Federação Internacional de Diabetes (IDF), apontam que o Brasil é o 5º país no mundo em incidência da doença: são 16,8 milhões de adultos. Apesar de ser uma doença crônica, o diabetes é controlável e o paciente pode ter uma vida normal. “É importante que o paciente de diabetes entenda que é possível conviver com a doença e ter uma vida de qualidade a partir de mudanças na rotina e no estilo de vida. Além do tratamento adequado, o teste de glicemia capilar – ou teste de ponta de dedo – é uma importante ferramenta para monitorar o diabetes e evitar a grande variação de açúcar no sangue”, reforça Marina Figueiredo, Gerente Médica da Roche Diabetes Care.

Passado o susto do diagnóstico, Walquíria aprendeu a conviver com o diabetes, controlando a doença de forma adequada e utilizando os testes de ponta de dedo para entender melhor a doença. “Utilizo os testes de ponta de dedo para monitorar o meu diabetes e também para que o médico acompanhe esse dado. A cada três meses, levo para meu médico os resultados dos exames de sangue e minha anotações com as informações dos testes de ponta de dedo que faço”, completa.

Conheça mais sobre a Campanha “Resposta na Ponta do Dedo” aqui.

Testes laboratoriais remotos não se propõem a dar um diagnóstico. Sempre procure um médico.

Read Previous

Pontos de ônibus em Campinas recebem 30 abrigos ‘andorinha’

Read Next

Tradicional GastroPub italiano reabre com novidades no cardápio

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *