ACESA Capuava amplia atendimento de mais 30 crianças com TEA

Atendimento precoce garante melhores resultado/Divulgação

O PRONAS, programa do Ministério da Saúde, possibilitará atendimento multidisciplinar especializado através de diversas terapias

A ACESA Capuava, entidade sem fins lucrativos de Valinhos, que tem como público alvo crianças, jovens e adultos com Transtorno do Espectro Autista (TEA), deficiência intelectual, deficiência múltipla e deficiência auditiva/surdez, teve seu projeto para implantação de equipe multiprofissional para reabilitação de pessoas com TEA aprovado pelo Ministério da Saúde. O financiamento se dá pelas empresas Elo Cartões e XP Investimentos.

O Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência – PRONAS/PCD tem como objetivo captar recursos para estimular e desenvolver a prevenção e a reabilitação da pessoa com deficiência, financia projetos de ONGS e instituições, tendo como doadores pessoas físicas e jurídicas que podem deduzir até 1% do Imposto de Renda. 

Hoje, as 30 vagas abertas para atendimento pelo PRONAS, projeto que tem duração de dois anos, já estão preenchidas. São oferecidas terapias específicas às necessidades de cada um. O atendimento envolve sessões de Hidroterapia, Psicopedagogia, atendimento de Fonoaudiologia com enfoque na Comunicação Suplementar Alternativa (CSA), atendimento médico (Neurologista e Psiquiatra), Terapia Ocupacional com enfoque na Integração Sensorial IS) e atendimento Psicossocial. 

“Esse projeto nos ajuda a alcançar um dos principais objetivos da ACESA, que é conseguir absorver crianças que estavam em nossa lista de espera e oferecer atendimento precoce a estas crianças e famílias, além de ampliar nossa equipe profissional”, afirma a coordenadora técnica da ACESA Capuava, Renata Catusso. 

Juliana de Oliveira, mãe do Raul, de 4 anos, afirma que com o PRONAS os atendimentos aumentaram, tanto para seu filho, quanto para as demais crianças. “O atendimento do PRONAS faz muita diferença. É excelente mesmo. Foi uma luz para muitas crianças”, relata Juliana. Ela diz que já pôde observar grande melhora no desenvolvimento do Raul através das terapias e que, sem elas, ele “não teria desenvolvido as habilidades que tem hoje”. 

A médica neuropediatra Camila Silveira, membro da equipe de profissionais da ACESA Capuava, ressalta a importância do diagnóstico e início das terapias precoces e reitera que com o PRONAS muitas outras crianças tiveram essa oportunidade. “Nós temos alguns casos aqui na ACESA que receberam o diagnóstico e começaram o tratamento cedo. É nítida a evolução e o desenvolvimento deles. É muito bonito de ver”, afirma Camila. A médica ainda aponta para o principal objetivo, não só do projeto, mas da ACESA como um todo: “termos a possibilidade de ajudá-los a se desenvolverem da melhor forma possível é o grande propósito do nosso trabalho”. 

No momento, a instituição atende 55 crianças com deficiência. Hoje, com o avanço da vacinação e regressão das medidas de segurança da Covid-19 estabelecidas pelo governo do estado de São Paulo, todos os atendimentos realizados pelo PRONAS estão sendo presenciais, mas os protocolos essenciais, como uso obrigatório de máscaras, disponibilidade de álcool em gel e distanciamento social, permanecem.

O PRONAS/PCD foi instituído nos termos da Lei nº 12.715, de 17 de setembro de 2012, regulamentada pelo Decreto 7.988, de 17 de abril de 2013 e pela Portaria nº 1.550, de 29 de julho de 2014. 

Read Previous

Defesa Civil alerta para risco de incêndio por altas temperaturas

Read Next

Campanha do Agasalho de Campinas encerra com 21 toneladas de doações

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *