Ciesp-Campinas aponta indicadores positivos para os próximos meses

A Regional Campinas do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), apresentou pesquisa on-line (via internet) para a Imprensa, nessa terça – 22 de setembro, avaliando os efeitos de seis meses de pandemia da Covid-19 na indústria regional. Para o diretor do Ciesp-Campinas, José Nunes Filho, o fato de 47% das empresas apontarem na pesquisa que estão encontrando “dificuldades em conseguir insumos e matérias-primas”, representa um indicativo de uma retomada no crescimento industrial. Nunes acrescentou que o aço plano, alumínio, papelão para embalagem e resinas termoplásticas são alguns desses insumos que estão em falta no mercado e, portanto, tiveram elevação nos seus preços. “Como não há matéria-prima suficiente, no caso do aço plano, o preço subiu 76% em reais e 34% em dólares, o que é muito significativo. Isso se deveu aos altos-fornos das siderúrgicas ficarem meses desativados e somente agora estarem retomando as suas atividades”, explica. No caso do alumínio, que é importado, os estoques ficaram baixos, as importações diminuíram e a oferta desse insumo no mercado nacional deve se regularizar nos próximos 60 a 70 dias, tempo médio de duração do processo de importação, explicou o diretor.
Na avaliação do diretor do Ciesp-Campinas são “boas notícias, porque indicam que o crescimento industrial está sendo retomado e a inflação gerada com os aumentos nesses insumos, não deve se manter”, à medida que a oferta seja regularizada nos próximos meses.

O diretor do Ciesp-Campinas, José Nunes Filho vê boas perspectivas
Em geral os demais indicadores da pesquisa de setembro se mantêm relativamente próximos aos do mês de agosto – 68% das empresas continuam com diminuição em suas vendas, 63% delas têm dificuldades para realizar pagamentos de rotina e 68% afirmam que estão buscando linhas de financiamento para capital de giro.
Na pesquisa anterior 72% das empresas estimaram que o pleno desempenho de suas atividades ocorreria dentro do período de um a seis meses. Nessa pesquisa de setembro, para esse mesmo período, a estimativa cresceu para 79% das indústrias.
Panorama Regional – O diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ciesp-Campinas, Anselmo Riso, afirmou que em agosto as exportações foram de US$ 224,4 milhões – 26,7% menor que no mesmo mês em 2019, que foram US$ 306,1 milhões. Já as importações em agosto registraram US$ 893 milhões – 9,7% menor, que em 2019, que foi de US$ 988,9 milhão.
A corrente de comércio exterior (soma das exportações e importações da região de Campinas) em agosto foi de US$ 1,117 bilhão – 13,7% menor que o registrado em agosto de 2019 (US$ 1,295 bilhão). No acumulado de 2020 (janeiro a agosto), a corrente de comércio exterior foi de US$ 8,084 bilhões, 15% menor que no acumulado de 2019 – US$ 9,513 bilhões.
O Ciesp-Campinas conta com 494 empresas associadas, distribuídas em 19 municípios da região. O faturamento conjunto das empresas associadas é de R$ 41,52 bilhões ao ano. Conjuntamente essas empresas empregam 98.894 colaboradores.

Por causa da pandemia do Coronavírus, as coletivas do Ciesp-Campinas, estão sendo realizadas de forma virtual ( Foto: Roncon & Graça)

Read Previous

Lemos Advocacia expande para Direito Digital

Read Next

Secretaria de Saúde divulga novo balanço sobre casos de dengue em Campinas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *