Comércio eletrônico na RMC deve movimentar R$ 104,5 milhões no Dia dos Pais

Montante representa um crescimento de 72,73% em relação à mesma data em 2019

As vendas digitais para o Dia dos Pais deste ano deverão crescer 72,73% na Região Metropolitana de Campinas (RMC), em relação à mesma data em 2019. O faturamento poderá chegar aos R$ 104,5 milhões, contra R$ 60,5 milhões registrados no ano passado. De acordo com o economista da Associação Comercial de Industrial de Campinas (Acic), Laerte Martins, o “efeito pandemia” dinamizou as vendas pelo comércio eletrônico, tendo em vista o impacto provocado pela quarentena que reteve a circulação das pessoas. “O isolamento social está levando o consumidor a se utilizar das compras por e-commerce, indicando uma mudança de hábito que veio para ficar e crescer no comércio varejista”, diz Martins.

Para a presidente da Acic, Adriana Flosi, o momento é de otimismo. “Acreditamos que, aos poucos, até o final do ano, o varejo possa voltar a um patamar próximo ao que apresentava antes da pandemia. As estimativas apontam que as vendas referentes ao Dia dos Pais, na RMC, devem crescer entre 12 e 15% em relação aos primeiros dez dias de julho. A reabertura das lojas, a retomada de algumas outras atividades na cidade no último dia 27, ainda que com restrições, e a melhora nos indicadores da pandemia, como a redução das taxas de ocupação de UTIs e de novas internações na região, geram certa positividade, o que acaba por impactar positivamente no comportamento do consumidor e, consequentemente, nas vendas do comércio”, afirma a presidente da Acic.

Compras online/willian iven_pixabay

Cuidados ainda são necessários

Segundo Flosi, no entanto, não é hora de relaxar. “Não podemos nos esquecer de que a pandemia não acabou, e é imprescindível o comprometimento de todos para que Campinas seja reclassificada, o mais rápido possível, para a Fase Amarela do Plano SP. O comércio adotou todas as medidas necessárias para garantir a reabertura segura dos estabelecimentos. A Acic uniu-se à Prefeitura para proporcionar os pit stops da prevenção e, agora, cabe à população fazer a sua parte. Além de orientar o comércio, criamos um guia com orientações de boas práticas de compras para os consumidores. No material, há dicas como, por exemplo, evitar sair acompanhado; planejar as compras com antecedência para ficar menos tempo na rua; manter a distância de outras pessoas e optar por vias com menos aglomeração, sempre que possível. Como em todo quinto dia útil do mês há maior movimento nas ruas, o ideal é postergar as compras para o dia seguinte. Dessa forma, evitam-se as aglomerações.”, explica Adriana.

Read Previous

Cédula de R$200 eleva a atenção para a preservação da fauna brasileira

Read Next

Artigo: Estresse tóxico infantil, como lidar na pandemia

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *