Grupo Rosa e Amor prepara programação especial de Outubro Rosa em ano de pandemia

Referência há 20 anos na região de Campinas pelo acolhimento e o trabalho multidisciplinar oferecido a mulheres com câncer e seus familiares, a associação destaca a importância da implantação da Lei dos 30 Dias

Na programação dedicada ao Outubro Rosa, neste ano on-line em função da pandemia, o Grupo Rosa e Amor desenvolve diversas atividades e destaca a importância da efetivação da Lei nº 13.896/2019, a chamada Lei dos 30 Dias. Entre a consulta e o diagnóstico de câncer, esta legislação prevê que o paciente não espere mais que um mês para ter a confirmação do diagnóstico, aumentando as chances de cura da doença. Neste mês dedicado à prevenção e ao diagnóstico precoce do câncer em mulheres, o Rosa e Amor também se alinha à campanha “3 Perguntas que Salvam #perguntapraela”, desenvolvida pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama).

“Na história do Rosa e Amor, a pandemia, sem dúvida, merece um capítulo importante de como a associação se adaptou para realizar os atendimentos a distância até poder retomá-los aos poucos, de forma presencial”, destaca a presidente do grupo Márcia Camargo Franzese, reforçando que a importância e referência do Rosa e Amor pelo acolhimento e trabalho multidisciplinar oferecido a mulheres com câncer na RMC.

Para celebrar suas duas décadas de existência em 2020, o Rosa e Amor, sediado em Valinhos (SP), havia programado diversas atividades presenciais que foram adaptadas para o meio digital. “Mesmo o Outubro Rosa, tão importante à prevenção do câncer de mama e à conscientização sobre os direitos das pacientes, terá um evento especial preparado pela associação”, diz Márcia Camargo.

O evento, chamado “2º Fórum Juntos pela Efetivação dos Direitos do Paciente com Câncer”, realizado em versão digital no dia 20 de outubro, a partir 17h, será composto por palestras e debates envolvendo especialistas da área médica oncológica, depoimentos de pacientes, artistas, formadores de opinião.

O fórum vai destacar o tema da campanha “3 Perguntas que Salvam #perguntapraela”, com participação da mastologista Maira Caleffi, presidente da Femama. “Este ano, nossa campanha é bem simples e estimula a atitude e ação para criar uma cultura de autocuidado e diagnóstico precoce”, explica Maira. As três perguntas, mote da iniciativa da Femama, são estas: “Você tem observado sua mama?”, “Você já marcou seus exames anuais?”, “Você conhece seus fatores de risco?”.

Também no fórum, as diferenças de acesso ao tratamento do câncer entre SUS e rede suplementar serão abordadas pelos profissionais do Grupo SOnHe. Implantação de teste genético para o SUS, inserção do paciente com câncer no mercado de trabalho (profissionais do AC Camargo), além de um módulo para respostas de dúvidas enviadas por pacientes, estão entre os conteúdos do fórum.

Como palestrante no evento digital, a médica Márcia Camargo vai apresentar o projeto Salvando Vidas. Elaborado pelo Grupo Rosa e Amor, com o apoio da Prefeitura de Valinhos e da Roche Brasil, a proposta visa identificar dificuldades e propor soluções para a plena efetivação da Lei dos 30 Dias na região. A legislação é um benefício a todos os pacientes com câncer e vem para complementar a Lei dos 60 Dias (Lei nº 12.732/2012), em vigor em todo o território nacional, que preconiza o período máximo de 60 dias para o início do tratamento após a confirmação do diagnóstico. No projeto Salvando Vida, o público-alvo são as mulheres com câncer de mama.

O Salvando Vidas vai envolver os responsáveis por serviços de mamografia, ultrassonografia e laboratórios atuantes no processo de diagnóstico do câncer de mama. “Neste objetivo a ser alcançado com o projeto é extremamente importante a sensibilização e a conscientização da comunidade e dos profissionais de saúde sobre a necessidade do diagnóstico precoce para a sobrevida e a qualidade de vida do paciente”, diz Márcia.

Segundo a presidente do Grupo Rosa e Amor, para que a Lei dos 30 Dias seja efetivamente implantada nos municípios são necessários empenho e esforço do poder público. “Por isso, precisamos discutir amplamente o assunto, falar da gravidade da situação do câncer, diante de números alarmantes que vemos aumentar todos os dias”, explica Márcia Camargo, reforçando que estudos recentes apontam que o número de casos de câncer deve crescer 42% nos próximos dez anos, situação agravada pela pandemia no que diz respeito à dificuldade de acesso ao tratamento.

A participação no fórum, que será transmitido pelas redes sociais do Grupo Rosa e Amor, é gratuita ao público. Para mais informações, basta acessar o site www.gruporosaeamor.org.br, ou ligar no telefone (19) 3869-7899.

Para levar informações às empresas, o Rosa e Amor também preparou uma série de atividades com o propósito de estimular campanhas e ações internas de conscientização nas corporações.

Read Previous

Campinas tem 58,85% de ocupação dos leitos de UTI Covid

Read Next

Thiago Camilo conquista 2ª vitória em Cascavel. Barrichello lidera por apenas um ponto

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *