Tendências que moldam a alimentação

Tendências que moldam a alimentação mudam o comportamento dos consumidores, que hoje são mais criteriosos sobre os alimentos que consomem, sendo influenciados por diversos fatores, dentre os quais as mudanças demográficas e nível de renda. De alguma forma, os consumidores passaram a buscar mais valor nos alimentos. Um estudo da PwC aponta que os consumidores não apenas listam “preço” e “sabor” como seus principais critérios de compra, mas exigem atributos adicionais à medida que se tornam mais sofisticados.

As mudanças em relação as preferências dos consumidores são os verdadeiros direcionadores de algumas tendências que moldam a alimentação nos próximos anos. Com base no estudo da PwC, foram identificadas seis tendências no modo de consumo dos alimentos: dietas mais saudáveis, produtos frescos, conhecimento de origem e rastreabilidade, consumo sustentável, proteínas alternativas e compras online.

Consumidores

Os consumidores estão buscando estilos de vida e hábitos de consumo mais saudáveis, alguns substituindo a carne vermelha e o açúcar por frutas, vegetais e lanches saudáveis, enquanto seletivamente gastam mais em alimentos que oferecem características que valorizam, como frescor e nutrição. Nota-se que estão preocupados com a segurança alimentar, exigindo mais responsabilidade sobre a origem dos alimentos.

Essa ênfase na transparência também se estende ao impacto ambiental da produção de alimentos, à medida que as pessoas optam pelo consumo mais sustentável dos alimentos, como evitar o desperdício e a compra de produtores locais. Essa busca por opções de alimentos mais sustentáveis também aumentou o interesse em proteínas vegetais e alternativas.

Tendências

Completando essas seis tendências está a compra de alimentos online, que os consumidores passaram a adotar, especialmente durante a pandemia, já que a entrega de alimentos online e as inovações da cadeia de valor oferecem maior conveniência e agilidade.

Essas seis tendências não são isoladas e muitas vezes se sobrepõem e influenciam significativamente as outras tendências. Entretanto, são essenciais para entender as mudanças na forma de se alimentar na próxima década. É fato que a Covid-19 acelerou essas tendências, alterando ainda mais os estilos de vida e as preferências dos consumidores, forçando as empresas a se adaptarem.

Leia também: Evento vai celebrar o Dia do Fisioterapeuta

O sucesso das empresas que atuam no setor agroalimentar precisará combinar sabor e preço com as seis tendências emergentes para atender às expectativas mais elevadas do novo consumidor.

Ao considerar as principais tendências, é notável que as empresas com uma ampla ênfase em ofertas de produtos considerados saudáveis, uso de tecnologias digitais e conceitos sustentáveis podem desfrutar de melhores avaliações dos consumidores.

Os líderes de negócios e investidores precisarão priorizar a criação de valor, aproveitando os insights dessas seis principais tendências para gerar valor para as organizações, seus clientes e a sociedade. Atender aos requisitos dos consumidores da próxima década exigirá criatividade ao longo de toda a cadeia de valor.

Mauricio Moraes – Sócio e líder da indústria de Agribusiness da PwC Brasil

Fabio Pereira – Gerente sênior e especialista em Agribusiness da PwC Brasi

Leia o JORNAL DO CASTELO

Read Previous

Sesc Campinas promove encontros para discutir cuidado de idosos

Read Next

Sucata: o que acontece com os carros abandonados?

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *