Utilização de plataformas online no processo de ensino-aprendizagem durante a pandemia do Coronavírus

*Prof. Carlos Walter Dorlass

No filme “Superman – O Retorno”, de 2006, uma cena em especial me chamou a atenção. Quando o super-herói chega à caverna e consegue, pelo uso da tecnologia, revisitar seu passado, compreendendo o porquê da destruição da civilização e do esgotamento dos recursos naturais.

A cena me remete ao momento em que vivemos. Devemos conhecer o passado para satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras. A tecnologia é a nossa principal ferramenta para unir o presente e o passado e promover o desenvolvimento, fundamentalmente na área da Educação. “O futuro é o passado em preparação”, dizia o ator e líder da resistência francesa na segunda guerra mundial, Pierre Dac.

A suspensão temporária das atividades presenciais, por ordem governamental ou não, é uma tentativa de reduzir o risco de contágio e disseminação do coronavírus entre os alunos e o restante da população. Garantindo assim, que o sistema de saúde possa atender com qualidade os doentes. 

Mesmo com a suspensão das aulas, é nosso papel, como educadores, continuar a garantir o conhecimento. Devemos utilizar a tecnologia para o aprendizado, utilizando de estratégias que motivem os alunos a refletirem sobre a realidade que se impõe.

As novas tecnologias estão influenciando e muito o modo como ensinamos e aprendemos, dentro e fora dos ambientes escolares. O aluno deve, mesmo em casa, estar compromissado com o seu desenvolvimento.

O uso da tecnologia motiva a busca por novos caminhos para o ensino-aprendizagem, com base em novas metodologias, desenvolvendo estratégias para as atividades propostas.

Para os docentes é mais um desafio. O processo de ensino é realizado mediante o compartilhamento de conteúdo no ambiente virtual, por meio de ferramentas para publicação, comentários e verificação da participação do aluno.

A utilização de plataformas online proporcionam ainda interação entre os alunos, por meio de fóruns de discussão e chats online, pois a comunicação é instantânea. Há também facilidade para os alunos e professores no acesso aos materiais de apoio.

E que tipo de abordagem deve ser usada para “magnetizar” o aluno?

O storytelling é um dos formatos mais interessantes, pois une a capacidade de contar histórias de maneira relevante, unindo recursos audiovisuais ao uso das palavras. Aliado a isso, o docente deve sugerir a pesquisa de informações sobre o tema tratado, enriquecendo assim, a capacidade de argumentação do aluno.

Entre as habilidades exigidas dos estudantes do século XXI estão a solução de problemas complexos, a inteligência emocional, flexibilidade cognitiva, dentre outras. Essas competências também devem ser desenvolvidas no ambiente virtual.

A utilização do Jornalismo, com matérias atuais e antigas também são uma ferramenta importantíssima para que os alunos estejam inseridos na realidade e compreendam o passado para que simulem o futuro. Trazer para a realidade cotidiana dos jovens, que contam com a tecnologia e com a internet para tudo, é uma das principais formas de despertar o interesse e conquistar a atenção.

Um ponto é importante de salientar: a adversidade gera oportunidade. Uma das lições aprendidas com a pandemia do Coronavírus é que as instituições de ensino precisam ir além da tradição e do conservadorismo e adaptar-se, adotando definitivamente as tecnologias educacionais e compartilhá-las, pois somos os responsáveis pelas gerações futuras.  

*Prof. Carlos Walter Dorlass é Diretor Geral do Colégio Marista Arquidiocesano, localizado em São Paulo (SP).

Read Previous

Coronavírus x Empresas

Read Next

EFEITO CORONAVÍRUS- Ciesp-Campinas faz balanço da indústria regional

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *