D. Pedro I é eleita a segunda melhor rodovia do País

A Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) aponta a D. Pedro I (SP-065) como a segunda melhor rodovia do país em 2018. A estrada administrada pela Rota das Bandeiras recebe avaliação máxima em itens como pavimento, sinalização e geometria da via. 

Pelo segundo ano consecutivo, a  D. Pedro I  foi eleita a segunda melhor rodovia do País. O resultado integra a 22ª edição da Pesquisa Rodoviária da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada nesta quarta-feira, 17 de outubro. No total, 170.161 km de vias foram analisados pela entidade, que levou em consideração três itens para chegar ao resultado: pavimento, sinalização e geometria da via.

Atualmente, a Rota das Bandeiras, concessionária responsável pela administração da rodovia, trabalha na implantação das vias marginais no trecho de Campinas da SP-065. Quando as obras estiverem concluídas, serão 32 km de novas pistas disponíveis para os usuários. Em 2017, a rodovia D. Pedro I passou por um amplo trabalho de recuperação especial do pavimento, o que garantiu as excelentes condições atuais de tráfego.

Segundo a pesquisa CNT, das 20 melhores rodovias do país, 18 são estradas estaduais de São Paulo. As outras duas que completam a lista são federais, mas que também servem ao Estado. Ainda de acordo com o estudo, 57% das rodovias analisadas contaram com classificação regular, ruim ou péssima. O número é melhor do que ano passado, quando esse número era de 61,8%.

 Corredor Dom Pedro

Além da rodovia D. Pedro I, as demais estradas do Corredor Dom Pedro também contaram com boa avaliação na pesquisa CNT.

As rodovias Prof. Zeferino Vaz (SP-332), que liga Campinas a Mogi Guaçu; Eng. Constâncio Cintra (SP-360), que liga Itatiba a Jundiaí; e o anel viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083), em Campinas, receberam o conceito excelente na avaliação geral. Já a rodovia Romildo Prado (SP-063), entre as cidades de Itatiba e Louveira, foi classificada com o conceito bom. No caso da SP-063, a avaliação levou em conta toda extensão da rodovia, incluindo o trecho sob responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Entre abril de 2009, início da concessão do Corredor Dom Pedro, e dezembro de 2017, a Rota das Bandeiras investiu cerca de R$ 2 bilhões em obras de ampliação e modernização do sistema viário. As intervenções fazem parte do programa desenvolvido junto à Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo), que regula o trabalho realizado pela Concessionária.

Read Previous

Ciesp Campinas promove palestra sobre gestão de resíduos sólidos orgânicos

Read Next

Alunos do Cotuca participam de feira tecnológica que reúne jovens cientistas de 22 países 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *